Tempo
|
A+ / A-

República Centro-Africana

Militares portugueses na RCA distinguidos com Medalha das Nações Unidas

05 mar, 2020 - 14:41 • Ana Rodrigues

Na cerimónia, segundo o EMGFA, foi “reiterado o agradecimento pelo excelente desempenho, profissionalismo e dedicação dos militares portugueses”.

A+ / A-

Prestes a terminarem a missão, os militares do Exército português, maioritariamente paraquedistas e da Força Aérea, na República Centro-Africana foram distinguidos com a Medalha de Honra das Nações Unidas, em reconhecimento do “seu desempenho na missão de paz da ONU ao longo dos últimos seis meses”.

Em comunicado, o Estado Maior Geral das Forças Armadas (EMGFA) diz que a entrega da medalha teve lugar no campo militar M´Poko, na capital, Bangui, e que contou com a presença do Representante Especial do Secretário-geral das Nações Unidas, Sr. Mankeur Ndiaye, da adjunta do Representante Especial do Secretário-geral das Nações Unidas para os Assuntos Humanitários e do 2.º Comandante da Força Militar da Missão de Paz das Nações Unidas na República Centro-Africana, entre outras personalidades.

Na cerimónia, segundo o EMGFA, foi “reiterado o agradecimento pelo excelente desempenho, profissionalismo e dedicação dos militares portugueses”.

A 6.ª Força Nacional Destacada Conjunta na República Centro-Africana, com um efetivo de 180 militares, é maioritariamente composta por tropas especiais paraquedistas e integra igualmente militares de outras unidades do Exército e ainda três Controladores Aéreos Avançados da Força Aérea.

O atual contingente termina a missão no próximo dia 12 de março, altura em que regressa a Portugal e, uma nova força de tropas especiais paraquedistas, aprontada pelo Regimento de Infantaria N.º 10, assume as funções de Força de Reação Rápida por mais seis meses neste teatro de operações.
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.