|

 Confirmados

 Suspeitos

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

​Costa saúda nova líder da CGTP e propõe condecoração de Arménio Carlos

15 fev, 2020 - 16:41

Primeiro-ministro agradece a Arménio Carlos, que deixa a liderança da central sindical, o "contributo para a consolidação do diálogo tripartido em Portugal e todo o trabalho desenvolvido em prol de um país mais justo"

A+ / A-

O primeiro-ministro, António Costa, anunciou este sábado que tenciona sugerir ao Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, a condecoração do secretário-geral cessante da CGTP, Arménio Carlos, e saudou a nova líder da central sindical, Isabel Camarinha.

"No dia em que cessa funções como secretário-geral da CGTP-IN, quero agradecer o contributo de Arménio Carlos para a consolidação do diálogo tripartido em Portugal e por todo o trabalho desenvolvido em prol de um país mais justo", escreveu António Costa na sua conta pessoal na rede social Twitter.

Depois, o primeiro-ministro lançou a sugestão de o secretário-geral cessante da CGTP-IN ser condecorado em breve.

"Como reconhecimento público da sua dedicação em defesa dos direitos do trabalho e dos trabalhadores, irei sugerir ao senhor Presidente da República que promova a condecoração de Arménio Carlos, pelos serviços meritórios praticados nestas funções", justificou.

António Costa saudou também a sucessora de Arménio Carlos na liderança da CGTP-IN, Isabel Camarinha, cuja eleição foi anunciada esta madrugada no congresso que decorre no Seixal, distrito de Setúbal.

"À nova secretária-geral da CGTP-IN, Isabel Camarinha, desejo as maiores felicidades, reforçando a disponibilidade do Governo para manter o diálogo em conjunto, em busca de mais igualdade e melhoria de condições e direitos para os trabalhadores", escreveu o primeiro-ministro.

Isabel Camarinha foi hoje eleita secretária-geral da CGTP com 115 votos favoráveis que recebeu dos 147 elementos do Conselho Nacional da central sindical.

A nova líder da maior central sindical do país recebeu ainda 25 votos brancos e um nulo. Foi também eleita a nova comissão executiva da CGTP, com 134 votos a favor e nove brancos.

Em declarações aos jornalistas na altura em que foram apresentados os resultados, Isabel Camarinha considerou ser uma honra ser a primeira mulher secretária-geral da CGTP.

"A participação das mulheres tem vindo a aumentar no mundo do trabalho, portanto é natural que assumam funções diversas no movimento sindical", destacou.

A sindicalista, militante comunista, vai substituir Arménio Carlos, que deixa a liderança da CGTP após oito anos, devido ao limite da idade.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Ex-Sindicalista
    15 fev, 2020 Cá 16:59
    Pode e deve condecorá-lo. Foi muito útil, tanto aos governos como ao patronato. Um sindicalista "manso", daqueles que reage aos abusos de governo e patronato, com declarações politizadas na TV, marchas ordeiras pela avenida, greves inofensivas de 1 dia que dão um jeitão em dinheiro poupado em salários, manter a aparência de luta embora se saiba que é "luta mansa", é disso que os governos e o patronato precisam um sindicalista manso e controlável. Vai e leva saudades que é coisa que cá não deixas. Devias era levar o Nogueira e a Avoila contigo.