|

 Casos Ativos

 Internados

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

EUA

Procurador-geral diz que "tweets" de Trump tornam o seu trabalho "impossível"

13 fev, 2020 - 23:38 • Redação com Reuters

William Barr garante que não se vai deixar intimidar pelas mensagens públicas de Donald Trump sobre o caso Roger Stone. Democratas falam em “abuso de poder", por parte do Presidente dos Estados Unidos.

A+ / A-

O Presidente norte-americano, Donald Trump, deve deixar de publicar mensagens no Twitter sobre casos em investigação pelo Departamento de Justiça, afirma o procurador-geral. William Barr garante que não se deixa intimidar por ninguém.

William Barr afirmou esta quinta-feira, em entrevista à ABC, que os “tweets” de Donald Trump “tornam impossível” fazer o seu trabalho.

“Eu não me vou deixar intimidar ou influenciar por ninguém, seja o Congresso, um editorial de um jornal ou pelo Presidente”, declarou o procurador-geral.

William Barr garante que vai fazer o que achar que está certo, mas não será possível continuar a fazer o seu trabalho no Departamento de Justiça com constante ruído de fundo.

“Acho que está na altura acabarem os ‘tweets’ sobre os casos criminais do Departamento de Justiça”, afirma o procurador.

Na origem da polémica está o caso do republicano Roger Stone, um conselheiro de Trump que foi condenado, em novembro, por sete crimes de perjúrio ao Congresso dos Estados Unidos, obstrução e pressão sobre testemunhas.

O “caso Stone” foi extraído da investigação liderada pelo ex-conselheiro especial Robert Mueller à interferência da Rússia para favorecer Trump nas eleições presidenciais de 2016.

Na terça-feira, o Presidente norte-americano, que foi recentemente absolvido num processo de destituição, criticou os procuradores que pediram uma pena entre sete e nove anos de prisão para Roger Stone. Donald Trump apelidou a posição dos procuradores de “horrível” e “erro judiciário”.

Horas depois, o Departamento de Justiça recuou e os quatro magistrados desistiram do caso.

O Presidente norte-americano, na quarta-feira, agradeceu a William Barr por ter “tomado conta” do caso e criticou a juíza Amy Berman Jackson que vai revelar a sentença, no próximo dia 20.

A líder dos democratas na Câmara dos Representantes, Nancy Pelosi, considera que os comentários de Trump são uma interferência na justiça.

“Isto é um abuso de poder. O Presidente está novamente a tentar manipular a aplicação da lei federal em prol dos seus interesses políticos”, criticou Nancy Pelosi.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • me
    14 fev, 2020 14:07
    O que é que a gente tem com isso? Podereis explicar?