|
A+ / A-

​Governo promete “grande baixa de impostos” para 2021

04 fev, 2020 - 15:12 • Susana Madureira Martins , Cristina Nascimento

Secretário de Estado garante que, no próximo ano, farão uma revisão, por exemplo, dos escalões de IRS e deduções específicas.

A+ / A-

O secretário de Estados dos Assuntos Fiscais promete para 2021 uma “grande baixa de impostos” para os rendimentos médios. António Mendonça Mendes fez o anúncio no debate do orçamento do Estado que prossegue no Parlamento.

Em resposta aos deputados do Bloco de Esquerda e do PCP, o governante comprometeu-se, por exemplo, a olhar para os escalões do IRS.

“Para o ano, com este caminho orçamental prudente que alguns querem arrepiar, mas que nós não o faremos, nós conseguiremos fazer no próximo ano uma grande baixa de impostos, em particular para os rendimentos médios”, garantiu.

”Nessa dimensão e nessa altura, olharemos para os escalões, para as deduções específicas e parta todas as outas questões”, acrescentou.

O governante aproveitou a oportunidade para enumerar várias medidas levadas a cabo pelo executivo. "Nós eliminámos a sobretaxa, nós alterámos o coeficiente familiar e nós fizemos uma grande reforma dos escalões em 2018, que permite termos hoje mais 200 mil pessoas a beneficiarem do mínimo de existência, que permite que as famílias portuguesas paguem menos de 1000 milhões de euros de impostos", acrescentou.

António Mendonça Mendes recusou ainda que o Orçamento do Estado em discussão aumente a carga fiscal. O deputado do PSD, Duarte Pacheco, contestou essa garantia.

"O Imposto de Selo não é agravado? Desminta, se eu não estiver a dizer a verdade. O Imposto sobre os Combustíveis como é que está? O Imposto sobre o Alojamento Local não é agravado? Para si só há um imposto: o IRS", argumenta.

Duarte Pacheco acusou ainda o governante de mudar de visão de acordo com o que lhe é mais favorável: "o conceito de carga fiscal varia conforme o dia e os impostos que os senhores aumentam."

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.