|

 Casos Ativos

 Internados

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Caixa Geral de Depósitos em 2019: 575 trabalhadores a menos e aumento em 57% dos lucros

31 jan, 2020 - 18:01

Lucros de 776 milhões de euros em 2019, depois dos 496 milhões registados em 2018.

A+ / A-

A Caixa Geral de Depósitos (CGD) registou um lucro de 776 milhões de euros em 2019, um aumento de 57% face aos 496 milhões de euros registados em 2018.

De acordo com um comunicado, a CGD teve um resultado corrente 632 milhões de euros, sem a venda dos bancos de Espanha e da África do Sul.

Em termos de rentabilidade, o banco atingiu um rácio ROE "return on equity" de 8,1%, destacou o presidente do banco, Paulo Macedo.

A Caixa Geral de Depósitos (CGD) reduziu 575 trabalhadores em 2019, segundo as contas anuais hoje divulgadas pelo banco público.

De acordo com a apresentação das contas do ano passado, o grupo CGD tinha no final de dezembro na atividade em Portugal 7.100 funcionários, o que compara com os 7.675 que tinha em final de 2018.

Esta redução de funcionários está em linha com as afirmações que o presidente executivo da CGD, Paulo Macedo, fez ao longo do ano passado sobre as saídas de pessoal previstas no total de 2019 (através de pré-reformas, rescisões por mútuo acordo e não renovação de contratos a termo).

A CGD tem estado num processo de redução de trabalhadores desde que foi recapitalizada e negociou o plano de reestruturação com a Comissão Europeia.

Quanto à rede comercial, a CGD refere nos resultados hoje divulgados que tinha 548 pontos de contacto com os clientes no final de 2019 em Portugal, sendo que este número inclui agências mas também extensões e gabinetes de empresas.

O banco público divulgou esta sextaq-feira que obteve lucros de 776 milhões de euros em 2019, um aumento de 57% face aos 496 milhões de euros registados em 2018.

Na apresentação dos resultados da CGD, em Lisboa, José de Brito, administrador financeiro do banco, disse que desde 2016 o grupo bancário já reduziu em 20% o número de trabalhadores.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.