|

 Casos Ativos

 Internados

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Aeroportos portugueses transportaram quase 60 milhões de pessoas em 2019

28 jan, 2020 - 15:39 • Lusa

Só por Lisboa, passaram mais de 30 milhões. Mas todos os aeroportos, incluindo nas ilhas, registaram um aumento nos números face a 2018.

A+ / A-

Os aeroportos portugueses movimentaram quase 60 milhões de passageiros no ano passado, um crescimento de 6,9% em relação ao período homólogo, avança nesta terça-feira a Vinci, dona da ANA – Aeroportos de Portugal.

"Os aeroportos do Porto e de Lisboa, com taxas de crescimento de 9,8% e 7,4%, respetivamente, são dois dos mais dinâmicos da União Europeia", destaca o grupo em comunicado.

A Vinci informou ainda que "o crescimento do quarto trimestre (6,4%) ficou em linha com a tendência geral do ano".

De acordo com os dados divulgados pela gestora, o aeroporto de Lisboa transportou 31,1 milhões de passageiros, um aumento de 7,4%, e o do Porto atingiu os 13,1 milhões de passageiros, o que representa um crescimento de 9,8%, face ao período homólogo.

Em Faro, o aeroporto movimentou mais de nove milhões de passageiros, um acréscimo de 3,7%, enquanto na Madeira o aumento foi de 0,7%, para 3,3 milhões de passageiros e nos Açores de 6,2%, atingindo os 2,4 milhões de passageiros, face ao ano anterior.

Nas previsões para este ano, a Vinci garantiu que "continuará a trabalhar com o Governo português para converter a base aérea militar do Montijo num aeroporto civil e para modernizar o Aeroporto Humberto Delgado.

O objetivo deste projeto é aumentar a capacidade de receber passageiros na capital portuguesa, acomodando o crescimento de tráfego esperado para os próximos anos".

De uma maneira geral, os aeroportos detidos pela Vinci movimentaram 255 milhões de passageiros no ano passado, em 46 infraestruturas, mais 5,7% do que no ano anterior, em 12 países, de acordo com o grupo.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.