|
A+ / A-

Faturas, ordens de pagamento, mails e contratos. Luanda Leaks reúne 715 mil documentos

19 jan, 2020 - 22:21 • Redação

Investigação é feita por um consórcio internacional de jornalistas que analisou os negócios de Isabel dos Santos feitos ao longo de 38 anos.

A+ / A-

Luanda Leaks é o mais recente dossier divulgado pelo Consórcio Internacional de Jornalismo de Investigação (ICIJ), que integra vários órgãos de comunicação social, entre os quais o Expresso e a SIC. De acordo com as notícias agora avançadas, o consórcio analisou, ao longo de vários meses, 356 gigabytes de dados relativos aos negócios de Isabel dos Santos entre 1980 e 2018, que ajudam a reconstruir o caminho que levou a filha do ex-Presidente angolano a tornar-se a mulher mais rica de África.

São 715 mil documentos, entre os quais e-mails, contratos, auditorias, e contas que foram obtidas por uma plataforma de denunciantes em África (PPLAAF), que depois foi partilhada com a ICIJ. A documentação evidencia, entre outras, faturas e ordens de pagamento que atestam a transferência de 100 milhões de euros (115 milhões de dólares) da Sonangol para uma empresa offshore no Dubai.

Os documentos a que o ICIJ teve acesso alude a uma rede com 400 empresas, muitas delas offshores, ligadas a Isabel dos Santos, e ao marido, Dokolo e os seus associados, e também a assistência dada por parte de companhias europeias e americanas.


Cópia de documentos apresentados pela investigação













Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.