|

 Confirmados

 Suspeitos

 Recuperados

 Óbitos

A+ / A-

Luanda Leaks. PGR de Portugal analisa revelações sobre Isabel dos Santos

20 jan, 2020 - 19:53 • Redação

Em reposta enviada à Renascença, a Procuradoria-Geral da República adianta que não deixará de "desencadear os procedimentos adequados no âmbito das suas atribuições”.

A+ / A-

A Procuradoria-Geral da República (PGR) vai analisar as revelações do Luanda Leaks, que acusam a empresária angolana Isabel dos Santos de desviar dinheiro da Sonangol.

“O Ministério Público não deixará de analisar toda a informação que tem vindo a público e de desencadear os procedimentos adequados no âmbito das suas atribuições”, garante a PGR, em resposta enviada à Renascença.

A Procuradoria-Geral da República de Portugal mantém uma “estreita colaboração” com a sua congénere angolana, refere o comunicado, “tendo renovado em 26 de abril de 2019 o Acordo Adicional ao Acordo de Cooperação com a Procuradoria-Geral da República de Angola”.

“Neste, como em todos os outros casos, dará seguimento aos pedidos de cooperação judiciária internacional que lhe sejam dirigidos”, frisa a entidade liderada por Lucília Gago.

O procurador-geral de Angola promete fazer "todos os possíveis" para repatriar Isabel dos Santos, acusada de desviar milhões de dólares de dinheiro público.

Em entrevista à Radio Nacional de Angola, Hélder Pitta Grós diz mesmo que irá ativar mecanismos internacionais.

Um consórcio de jornalismo de investigação revelou, no domingo, mais de 715 mil ficheiros, sob o nome de "Luanda Leaks", que detalham esquemas financeiros de Isabel dos Santos e do marido, Sindika Dokolo, que estarão na origem da fortuna da família.

O Consórcio Internacional de Jornalismo de Investigação (ICIJ), que integra vários órgãos de comunicação social, entre os quais o Expresso e a SIC, analisou, ao longo de vários meses, 356 gigabytes de dados relativos aos negócios de Isabel dos Santos entre 1980 e 2018, que ajudam a reconstruir o caminho que levou a filha do ex-presidente angolano a tornar-se a mulher mais rica de África.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.