|
A+ / A-

Benfica

"Bis de Seferovic não vai baralhar" contas de Lage para o dérbi

15 jan, 2020 - 12:45 • Rui Viegas

Antigo defesa benfiquista antevê, ainda, um Sporting-Benfica com favoritismo dividido.

A+ / A-

António Veloso, antigo capitão do Benfica, acredita que a boa prestação de Seferovic contra o Rio Ave não vai baralhar Bruno Lage nas escolhas para o dérbi contra o Sporting, desta sexta-feira.

Haris Seferovic marcou dois golos, desbloqueando a partida frente ao Rio Ave, e colocou o Benfica nas meias-finais da Taça de Portugal. O avançado suiço foi assim decisivo diante do clube de Vila do Conde, numa altura em que tinha perdido a titularidade para Carlos Vinícius na frente de ataque da equipa de Bruno Lage.

Para o antigo capitão encarnado, com vários dérbies no currículo, Lage saberá melhor do que ninguém o que terá de fazer. Até porque é quem trabalha diariamente com os jogadores.

"[Seferovic] É um jogador de golos e, como todos os atletas ao longo de uma temporada, passam por momentos menos bons. O Seferovic estava a atravessar um momento menos bom, teve a possibilidade entrar ontem e acabou por marcar dois golos. No fundo, os grandes jogadores são assim: quando estão bem, tudo está certo. Quando não estão, recuperam no banco e vão entrando até que voltem a ter confiança. Foi isso que aconteceu. Entrou no momento certo, na hora certa, e resolveu o jogo. Tenho a certeza que o treinador não ficará baralhado com esta situação. Acho que ele sabe os jogadores que tem, a forma como treinam e se apresentam. Quer o Vinícius, quer o Seferovic, qualquer um deles está em condições de estar no onze e de fazer um bom jogo", diz, a Bola Branca.

Veloso não entrega o favoritismo a nenhuma das equipas, admite que é um "jogo de tripla" e reconhece que o Benfica estará um pouco melhor.

"São sempre jogos imprevisíveis e, eventualmente, a tripla está sempre associada. Independentemente de uma equipa estar melhor que a outra, tal não significa que tenha sucesso. Mas, neste momento, parece-me que o Benfica está relativamente melhor. Mas, em casa do adversário, perspectivo um jogo extremamente difícil. A única coisa que gostaria que acontecesse era que não houvesse casos e em que o árbitro fosse um mero expectador, sem interferir no jogo. Será cinquenta por cento para cada lado, porque o Benfica, independentemente de estar em primeiro lugar, tem a componente de jogar fora. E isso pesa", diz, ao mesmo tempo que revela que o dérbi mais marcante foi o do triunfo 3-6 do Benfica, em Alvalade, em Maio de 1994.

"Foi aquele que mais pesou nas hostes benfiquistas e não só. Foi aquele jogo mais marcante e o mais decisivo", recorda.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.