|
A+ / A-

évora

Céu ou inferno? Uma alegoria nos 45 anos de vida do CENDREV

10 jan, 2020 - 10:42 • Rosário Silva

Com o futuro suspenso por falta de financiamento, o Centro Dramático de Évora reúne, a 14 de janeiro, com a ministra da Cultura. Até lá, 11 sessões de “Embarcação do Inferno” dão vida ao Teatro Garcia de Resende. Duas serão gratuitas, celebrando com a cidade mais de quatro décadas de vida.

A+ / A-

“Sem saber se vai para o céu ou para o inferno, o Centro Dramático de Évora (CENDREV) convida o público a vir comemorar os 45 anos do Centro Dramático de Évora com espetáculos de entrada gratuita”.

O convite da companhia profissional à população é feito desta forma, quando pairam sobre o seu futuro mais dúvidas do que certezas.

“Num momento em que o futuro da companhia de Évora é incerto, o CENDREV comemora 45 anos de atividade com um dos textos mais conhecidos do teatro português - o “Auto da Barca do Inferno” de Gil Vicente”, revela num comunicado enviado à Renascença.

O Centro Dramático de Évora ficou excluído do financiamento do Programa de Apoio Sustentado, na modalidade bienal (2020-2021) da DGArtes, no domínio da Criação-Teatro, situação que levou a companhia a acenar com o encerramento, decisão que seria adiada, com o anúncio, já este ano, de que o município assegura os compromissos financeiros neste mês de janeiro.

“O senhor Presidente da Câmara Municipal de Évora assumiu, em reunião com todos os trabalhadores desta companhia, o compromisso de retomar o subsídio anual a este projeto, com o respetivo pagamento até final do mês de janeiro”, revelou o CENDREV na sua página do facebook.

Assim, lê-se, “vai conseguir assumir alguns compromissos já no arranque deste ano de 2020, nomeadamente a realização de um conjunto de apresentações para os alunos das escolas da cidade e da região do espetáculo coproduzido com A Escola da Noite, a “Embarcação do Inferno” de Gil Vicente.”

O Teatro Garcia de Resende, em Évora, acolhe, por estes dias, 11 sessões, até dia 17 deste mês, sendo que duas delas são oferecidas à cidade para celebrar, precisamente, os 45 anos de vida da companhia profissional de teatro: dia 11 de janeiro, próximo sábado, às 21h30 e dia 12, domingo, pelas 16 horas.

De acordo com o CENDREV, este conjunto de sessões junta-se “às 153 já realizadas para mais de 15 mil espectadores, em Évora, Coimbra, Campo Benfeito, Bragança, Aveiro, Viana do Castelo, Caldas da Rainha, Barreiro, Figueira da Foz, Castelo Branco, Porto, Leiria, Braga, Ponta Delgada e Sobral de Monte Agraço.”

Trata-se de uma co-produção do CENDREV e d’A Escola da Noite, “duas das companhias nacionais que mais se têm dedicado a estudar a obra vicentina e a representar os textos daquele que é considerado o primeiro dramaturgo”, esclarece a nota, adiantando que ““Embarcação do Inferno” apresenta-nos um Gil Vicente contemporâneo que se deixa acompanhar pela presença das referências aos tradicionais Bonecos de Santo de Aleixo.”

Com o futuro suspenso por falta de financiamento, o CENDREV deposita agora todas as fichas na reunião marcada para o próximo dia 14 de janeiro, com a ministra da Cultura, Graça Fonseca.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.