|

 Confirmados

 Suspeitos

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Bruno Lage revela que Raúl de Tomás quis regressar a Espanha

09 jan, 2020 - 13:29 • Redação

Treinador do Benfica diz que clube não iria aceitar a proposta do Espanhol.

A+ / A-

Bruno Lage admite que Raúl de Tomás quis voltar a Espanha, daí a saída do ponta-de-lança para o Espanhol, anunciada esta manhã.

"Continuo a acreditar que o Raúl é um grande jogador. A prova disso é aparecer uma equipa com esta proposta, que não iriamos aceitar, à partida, mas quando se olha para a vontade do jogador em querer regressar ao seu país e voltar à sua liga, temos de avaliar e decidimos", disse, em conferência de imprensa.

De Tomás deixa o Benfica com apenas três golos apontados em 17 jogos e Lage lamenta não ter conseguido tirar mais rendimento do espanhol e dá o exemplo de Vinícius e Seferovic.

"O que correu mal ao Vinícius para não ter singrado no Nápoles e Mónaco? Ou ao Seferovic para só começar a faturar um ano e meio depois? Temos dois jogadores na casa que passaram por isto. Disse-lhe para não desistir e continuar a trabalhar, mas há falta de tempo. Lamento eu não ter tirado rendimento dele, mas quero reforçar o enorme apoio que sempre teve na estrutura e colegas", disse.

Bruno Lage diz que o facto de não ter conseguido tirar rendimento de RDT não aumenta a pressão de conseguir encaixar o novo reforço Julian Weigl.

"A pressão sobre o Raúl é igual à do Vinícius, ou do Florentino. A pressão é sempre máxima, mas o excesso de pressão vindo de fora pode condicionar. Há pessoas que lidam melhor com a pressão, outros menos. Não tenho pressão nesse aspeto, quero fazer com que os meus jogadores treinem da melhor forma e ter os melhores resultados, quer tenham custado 20 milhões, três milhões, ou o tempo que demorou a formar", remata.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.