Tempo
|
A+ / A-

Abertura da COP25

"Se queremos mudar, devemos ser essa mudança". António Guterres apela à união contra alterações climáticas

02 dez, 2019 - 11:40 • Lusa

O secretário-geral das Nações Unidas presidiu, esta segunda-feira de manhã, à sessão de abertura da cimeira da ONU sobre o clima, que tem como lema “É tempo de atuar.”

A+ / A-
Guterres deixa apelo aos líderes políticos. "Por favor, liderem. Não sigam"
Guterres deixa apelo aos líderes políticos. "Por favor, liderem. Não sigam"

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, pediu esta segunda-feira, em Madrid, a todos os países do planeta para “ultrapassarem” as suas divisões e chegarem a um “entendimento” para lutar contra as alterações climáticas.

“Exorto todas as partes a ultrapassarem as suas atuais divisões e a encontrarem um entendimento comum sobre” a questão da luta contra as alterações climáticas, disse António Guterres na sessão de abertura da Cimeira sobre as alterações Climáticas, conhecida como COP25, que irá decorrer até 13 de dezembro na capital espanhola.

O secretário-geral das Nações Unidas fez um apelo aos representantes de mais 170 países presentes “para que aumentem” a sua “ambição e urgência” na luta contra o problema.

O ex-primeiro-ministro português recordou que o plantea está numa “encruzilhada crucial” e que “milhões em todo o mundo, entre eles muitos jovens”, estão a pedir para os líderes mundiais “fazerem mais”.

“É imperativo que os Governos aumentem substancialmente a sua ambição”, repetiu António Guterres durante a sua intervenção, concluindo que, se não for feito o esforço suficiente, “o impacto em toda a vida no planeta será catastrófico”.

Durante a 25.ª Conferência das Partes (COP25) da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Alterações Climáticas, são esperadas delegações de 196 países, assim como os mais altos representantes da União Europeia e várias instituições internacionais, o que pressupõe “a totalidade dos países do mundo”, de acordo com o Governo espanhol, que organiza a reunião.

O primeiro-ministro espanhol, Pedro Sánchez, presidiu ao lado de Guterres à sessão de abertura da cimeira, que tem como lema “É tempo de atuar”.

A cimeira sobre o clima estava inicialmente prevista para se realizar no Chile, mas no final de outubro o Governo chileno decidiu cancelar o evento alegando não haver condições devido a um movimento de contestação interna e de agitação civil.

O Governo espanhol avançou com a proposta de organizar a grande conferência anual sobre Alterações Climáticas e conseguiu ter tudo pronto para a sua inauguração, em Madrid, apesar de a presidência da reunião continuar a pertencer ao Chile.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • zaico uchiha
    02 dez, 2019 17:00
    Não seria preferível preparar as pessoas para viverem fora da sociedade de consumo primeiro e só depois as carregar de impostos "verdes" depois.