|
A+ / A-

Independentistas catalães bloqueiam acesso a França

11 nov, 2019 - 11:16 • Lusa

A "convocatória" que está a ser difundida explica que o corte da estrada da fronteira é um protesto para "alertar a comunidade internacional" sobre os condenados do Processo independentista catalão e forçar "Madrid a negociar".

A+ / A-

A plataforma independentista catalã "Tsunami Democrático" cortou esta segunda-feira a estrada AP7 junto à fronteira entre a Catalunha e a França para "forçar a Espanha a negociar".

Numerosos veículos bloqueiam a passagem fronteiriça depois de, através das redes sociais (Twitter, Instagrama e Telegram), o organismo "Tsunami Democrático" apelar aos catalães para se dirigirem para a fronteira de Jonquera, "de carro e a pé" para cortar a estrada AP7 que liga Espanha ao sul de França.

Trata-se da primeira mobilização da plataforma independentista depois das eleições gerais espanholas.

De acordo com a "convocatória" que está a ser difundida, em catalão e inglês, o corte da estrada da fronteira é um protesto para "alertar a comunidade internacional" sobre os condenados do Processo independentista catalão e forçar "Madrid a negociar".

No final da semana passada, o "Tsunami Democrático" anunciou através das redes sociais que ia organizar uma série de protestos em "toda" a região autónoma da Catalunha esta semana: de hoje até quarta-feira.

No passado sábado, dia de reflexão eleitoral, o "Tsunami Democrático" organizou uma série de concertos de protesto com o "Estado Espanhol" no centro da cidade de Barcelona e que reuniu milhares de pessoas.

Paralelamente, no dia de reflexão, uma marcha dos Comités de Defesa da República mobilizaram centenas de jovens numa marcha na zona central da capital catalã que acabou por ser dispersada após uma carga da Polícia Nacional.

O "Tsunami Democrático" é um organismo sem rosto que é apontado pelas autoridades como responsável por vários confrontos na Catalunha, desde outubro.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.