Tempo
|
A+ / A-

Lisboa

Recém-nascido encontrado no lixo está fora de perigo. Ministério Público investiga

06 nov, 2019 - 10:00 • Redação com Lusa

O menino foi descoberto por um homem sem-abrigo na zona de Santa Apolónia. Caso foi entregue à PJ.

A+ / A-

Um recém-nascido encontrado, na noite de terça-feira, dentro de um caixote do lixo em Lisboa encontra-se fora de perigo.

De acordo com o Centro Hospitalar Lisboa Central, o bebé está clinicamente estável, mas continua sob vigilância nos cuidados intensivos no Hospital D. Estefânia.

O recém-nascido, do sexo masculino, ainda tinha vestígios do cordão umbilical quando foi encontrado por um homem sem-abrigo na zona de Santa Apolónia.

"Foi transportado para o Hospital D. Estefânia num estado de fragilidade, mas com vida", revelou fonte da PSP na altura.

Esta manhã, em conferência de imprensa, o comissário da PSP André Serra esclareceu que pode estar em causa uma situação de infanticídio ou crime de exposição e abandono. O bebé foi encontrado "sem qualquer tipo de proteção, nem roupa, nem agasalho, estava simplesmente dentro do caixote do lixo da maneira como nasceu," descreveu.

"A investigação está a decorrer, de momento não temos ainda mais informações sobre os pais", declarou.

O PSP acrescentou que quando o menino estiver estabilizado será encaminhado para uma instituição de apoio.

O Ministério Público (MP) confirmou entretanto à Renascença que foi instaurado um inquérito para averiguar o caso.

"Confirma-se a instauração de inquérito relacionado com a matéria. O mesmo corre termos no DIAP [Departamento de Investigação e Ação Penal] de Lisboa", refere a Procuradoria-Geral da República, em resposta escrita.

A investigação do caso está a cargo da Polícia Judiciária.

[notícia atualizada às 14h00]

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.