|
A+ / A-

Fisco devolve pela segunda vez imposto sobre carro importado

06 nov, 2019 - 07:14

A Autoridade Tributária foi condenada a devolver 2.930 euros a um contribuinte, que reclamou do valor do Imposto sobre Veículos e que já tinha contestado em Maio deste ano por outro veículo.

A+ / A-

O carro em segunda mão, importado em Abril deste ano, teve um imposto de 2.930 euros cobrado indevidamente. O Centro de Arbitragem Administrativa condenou a Autoridade Tributária a devolver o imposto ao contribuinte, de acordo com o jornal "Público".

O mesmo queixoso já tinha contestado, em Maio, o Imposto sobre Veículos cobrado a um outro veículo.

Da primeira vez, o montante devolvido foi de 417 euros, uma ação decidida pelo Centro de Arbitragem Administrativa de Lisboa. No caso do segundo veículo, um valor mais elevado, envolveu a compra de um Mercedes GLS 350D, noticiado pelo "Público".

O imposto devido era cerca de 21 mil euros, com mais de nove mil euros correspondendo à cilindrada e cerca de 14.5 mil euros de componente ambiental.

O Estado foi condenado a devolver o montante pelo facto de os carros em segunda mão terem uma redução de 20% de imposto.

Neste caso, o Estado aplicou esta redução apenas à componente da cilindrada e não à totalidade. Para cumprir as regras europeias, a Autoridade Tributária deveria aplicar a mesma redução de 20% sobre a componente ambiental.

A Autoridade Tributária chegou a recorrer do primeiro caso, alegando que a componente ambiental não deve ser objeto de redução, mas o Supremo Tribunal Administrativo recusou-se a admitir esse recurso.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.