Tempo
|
A+ / A-

Paddy Cosgrave justifica atraso na abertura com reforço na segurança na Web Summit

04 nov, 2019 - 19:40 • Redação com Lusa

À Renascença, PSP nega medidas adicionais e responsabilidade na demora no início da cerimónia.

A+ / A-

O cofundador e presidente executivo da Web Summit, Paddy Cosgrave, agradeceu esta segunda-feira às forças de segurança portuguesas, que decidiram à última hora reforçar o controlo de mochilas, atrasando em cerca de 15 minutos o início da cimeira tecnológica.

"Há duas horas [as forças policiais] tomaram a decisão de começar a ver as mochilas", reforçando o controlo de segurança, adiantou Paddy Cosgrave.

"Nós respeitamos e achamos que o interesse deles é o interesse de todos vós", acrescentou.

No entanto, fonte oficial da PSP contactada pela Renascença recusou a tese de aumento de segurança e apenas admitiu que havia um excesso de afluência à Altice Arena, em Lisboa.

Por esse motivo, os acessos ao pavilhão foram encerrados e os espetadores reencaminhados para ecrãs gigantes que transmitem a cerimónia para o exterior.

A mesma fonte garante ainda que o adiamento de 15 minutos não se deveu a qualquer mudança de procedimentos.

"Todos portugueses", garante Paddy

Segundo o cofundador da Web Summit, que decorre até quinta-feira, estavam cerca de 50.000 pessoas a assistir à cerimónia de abertura do evento.

Antes de passar a palavra a Edward Snowden, que participa como orador por videoconferência, Paddy Cosgrave pediu a todos os participantes que se levantassem e cumprimentassem duas pessoas ao seu lado.

"Durante a próxima semana vamos ser todos portugueses", sublinhou.

Fundada em 2010 por Paddy Cosgrave, Daire Hickey e David Kelly, a Web Summit é considerada um dos maiores eventos de tecnologia, inovação e empreendedorismo do mundo e evoluiu em menos de seis anos de uma equipa de apenas três pessoas para uma empresa com mais de 150 colaboradores.

A cimeira tecnológica, que nasceu em 2010 na Irlanda, passou a realizar-se em Lisboa desde 2016, vai manter-se na capital até 2028, depois de, em novembro do ano passado, ter ficado decidida a permanência da conferência em Portugal por mais 10 anos, após uma candidatura com sucesso.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.