Tempo
|
A+ / A-

Guterres orgulhoso de ver Portugal "na linha da frente" nas alterações climáticas

23 set, 2019 - 06:42 • Lusa

Em matéria de migrações e refugiados, o secretário-geral da ONU apontou o país como um exemplo, assinalando que "será o primeiro país a aprovar um plano de ação para o compacto das migrações".

A+ / A-

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), António Guterres, expressou hoje orgulho, como português, em ver Portugal "na linha da frente" no combate às alterações climáticas e também em matéria de migrações e refugiados.

"É para mim, como português, um motivo de particular orgulho ver que Portugal tem estado na linha da frente, quer em matéria de alterações climáticas, questão central do nosso tempo, quer em algo que me é particularmente querido, até pelo que fiz como Alto Comissário das Nações Unidas para os Refugiados", afirmou.

No final de um encontro com o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, no seu gabinete nas Nações Unidas, em Nova Iorque, António Guterres elogiou também "a coragem, a eficácia e a extrema importância do contingente português na República Centro-Africana".

"Em circunstâncias particularmente difíceis, o contingente português tem sido precioso para que as Nações Unidas possam proteger os civis, com grupos armados muito agressivos, e tem revelado uma capacidade fora do normal e admirada por todos os outros países presentes nesse cenário", considerou, numa declaração aos jornalistas, com Marcelo Rebelo de Sousa ao seu lado.

Segundo António Guterres, "a cooperação entre Portugal e as Nações Unidas é exemplar".

Em matéria de migrações e refugiados, o secretário-geral da ONU apontou Portugal como um exemplo, assinalando que "será o primeiro país a aprovar um plano de ação para o compacto das migrações".

"Num momento em que, infelizmente, nós vemos tantas portas fechadas, vemos tanta falta de humanismo, esse exemplo de Portugal é extremamente reconfortante e muito importante para as Nações Unidas", acrescentou.

Em seguida, Marcelo Rebelo de Sousa agradeceu a referência do secretário-geral da ONU à presença portuguesa na República Centro-Africana.

O presidente chegou no domingo a Nova Iorque, onde ficará até quarta-feira, para participar e intervir na Cimeira da Ação Climática, na segunda-feira, e no debate geral da 74.ª Assembleia Geral da ONU, que começa na terça-feira.

O que se pode esperar da Cimeira Climática 2019?
O que se pode esperar da Cimeira Climática 2019?
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.