Tempo
|
A+ / A-

Estado Islâmico

Trump ameaça "largar" nas fronteiras europeias jihadistas capturados na Síria

20 set, 2019 - 18:40 • Redação

"Já fizemos um enorme favor à Europa. Se não os aceitarem de volta, provavelmente vamos deixá-los nas fronteiras e depois têm de ir capturá-los outra vez", avisou o Presidente dos EUA.

A+ / A-

Veja também:


O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, avisou esta sexta-feira França, Alemanha e outros países da Europa que está disposto a libertar militantes do autoproclamado Estado Islâmico detidos pelos norte-americanos no continente se esses países não aceitarem os seus cidadãos de volta.

"Eu derrotei o califado", começou por declarar Trump aos jornalistas na Casa Branca durante um encontro com o primeiro-ministro australiano, Scott Morrison. "E agora temos milhares de prisioneiros de guerra, militantes do ISIS", acrescentou, usando um dos acrónimos pelos quais o grupo extremista é conhecido.

"Estamos a pedir aos países de onde eles vieram, da Europa, que aceitem estes prisioneiros de guerra de volta. Podem julgá-los, podem fazer o que quiserem, mas até agora recusaram", disse, referindo-se concretamente à Alemanha e a França.

"Em algum momento, vou ter de dizer: 'Desculpem, mas ou os aceitam de volta ou eu vou largá-los nas vossas fronteiras", ameaçou o chefe de Estado.

A isto, Trump acrescentou que "os EUA não vão manter [na prisão extrajudicial de] Guantánamo durante 50 anos os milhares e milhares de prisioneiros capturados" nem "gastar milhares de milhões de dólares" com eles.

"Já fizemos um enorme favor à Europa. Se não os aceitarem de volta, provavelmente vamos deixá-los nas fronteiras [da Europa] e depois têm de ir capturá-los outra vez."

Há cerca de um mês, o Presidente norte-americano já tinha proferido uma ameaça semelhante, queixando-se da relutância dos países europeus em receberem de volta os seus nacionais que partiram para a Síria e para o Iraque para se juntarem às fileiras do Estado Islâmico.

Neste momento, há milhares de jihadistas, entre eles muitos europeus, presos em campos na Síria.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.