A+ / A-

Presidente lamenta que campanha eleitoral tenha sido tão longa

02 set, 2019 - 07:34 • Lusa

Marcelo espera que todo o debate que tem sido suscitado seja suficiente para mobilizar os portugueses a votarem em outubro.
A+ / A-

O Presidente da República disse que os portugueses tiveram um ano de pré-campanha para as eleições legislativas de outubro, defendendo que deveria ter sido "menos longa".

"Estamos agora a entrar numa longuíssima campanha eleitoral, que eu teria gostado que fosse menos longa e que não demorasse um ano", lamentou Marcelo Rebelo de Sousa, em declarações durante a Festa do Livro de Belém, que termina hoje nos jardins do Palácio de Belém.

Questionado sobre a estabilidade política pedida pelo PS, Marcelo Rebelo de Sousa respondeu que "os portugueses o que decidirem é bem decidido e é com base nisso que o Presidente da República vai trabalhar" para dar posse ao futuro Governo.

Para o Presidente da República, esta quarta edição da Festa do Livro em Belém "superou as expectativas", com os números, ainda preliminares, a apontarem para "mais de 22 mil visitantes", atraindo também emigrantes e estrangeiros. A pensar já na quinta e última edição, Marcelo Rebelo de Sousa disse que um dos objetivos do evento é promover a leitura e a venda de livros e "os números de [sábado] apontavam para uma subida de venda de livros de 10% a caminho dos 15%".

Marcelo Rebelo de Sousa adiantou ainda que está a acompanhar os problemas no Instituto Português do Sangue, depois de o jornal “Público” ter noticiado que a instituição enfrentou constrangimentos ao seu funcionamento em 2018 devido às dívidas das entidades públicas, nomeadamente dos hospitais.

Após contactos com a ministra da Saúde, o Presidente da República confirmou que existe um problema relativo a "dívidas a regularizar" desde 2018 e que a intenção da tutela "é acelerar o que está em dívida do passado".


legislativas 2019 promosite
Últimaslegislativas 2019
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.