A+ / A-

Motoristas mantêm pré-aviso de greve. "Estamos a fazer tudo para chegar ao diálogo", diz presidente do sindicato

22 ago, 2019 - 12:09 • Marta Grosso

Francisco São Bento diz que a greve de setembro se mantém, mas espera que haja mais força de vontade do lado dos patrões para chegar a um acordo.
A+ / A-

O Sindicato dos Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP) diz-se empenhado no diálogo com a Associação Nacional de Transportes Públicos Rodoviários (Antram), com vista a chegar-se a um acordo e evitar a greve marcada para setembro.

“Estamos a efetuar diligências para chegar ao diálogo. Temos sido coerentes, concisos e com abertura para chegar ao diálogo”, afirmou o presidente do sindicato aos jornalistas, nesta quinta-feira.

“Com ou sem greve, teremos de chegar ao diálogo. Uma vez que estamos a fazer esses esforços, aguardamos que a outra parte também faça”, sublinhou ainda Francisco São Bento, adiantando que não viu ainda “esforços do lado da Antram” para que se possa chegar a um consenso.

Na opinião de Francisco São Bento, “o sindicato tem mostrado bom senso” e há vontade para resolver o diferendo antes da greve. Se não for possível e não houver “contacto da Antram, teremos a nossa greve de 7 a 22” de setembro.

Com a saída de Pedro Pardal Henriques de porta-voz do sindicato, é Francisco São Bento que assume a função, assegurando contudo que Pardal Henriques – que aceitou ser candidato nas próximas eleições legislativas pelo PNR – irá manter-se como assessor jurídico do SNMMP.

A greve de setembro foi marcada na quarta-feira, depois de mais uma negociação falhada. O pré-aviso refere que os trabalhadores, durante aquele período, não vão fazer trabalho extraordinário nem em dias feriados ou aos fins de semana.


legislativas 2019 promosite
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.