A+ / A-
Seleção Feminina

Jéssica Silva não gostou de ver o Mundial pela televisão

08 ago, 2019 - 16:15 • Inês Braga Sampaio Redação

A avançada do Lyon acredita que Portugal devia ter estado em França e só aceita o cenário de apuramento para o Euro 2021.
A+ / A-

Jéssica Silva acredita que a seleção portuguesa devia ter-se apurado para o Mundial feminino de futebol, que decorreu em França.

Em entrevista a Bola Branca, a avançada do Lyon assume que o alargamento do número de equipas para 32, previsto para o Campeonato do Mundo de 2023, "é mais vantajoso", contudo, afirma que Portugal não devia precisar disso para chegar à maior prova do mundo de seleções.

"No fundo, acho que, neste Mundial, podíamos ter lá estado. Não foi muito confortável ver o Mundial na televisão. A nossa seleção tem de assumir que tem o papel para estar nas fases finais das grandes competições", sublinha a internacional portuguesa, de 24 anos.

A próxima grande competição de seleções femininas é o Euro 2021, em Inglaterra. Portugal está inserido no Grupo E de qualificação, juntamente com Escócia, Finlândia, Albânia e Chipre, e começa a tentar lá chegar a 4 de outubro, com uma visita à congénere albanesa.

Jéssica Silva acredita que Portugal conseguirá repetir o feito de 2017 e garantir o apuramento para o Europeu: "Nem há possibilidade para pensar que não. Já provámos que temos uma seleção que pode e tem de estar, e merece estar nas fases finais. Este último ano foi de transição. Agora, queremos é arrancar com a qualificação da melhor maneira possível e qualificarmo-nos para o Europeu."


legislativas 2019 promosite
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.