Opinião de Ribeiro Cristovão
A+ / A-

Sem motivos para alarme

11 jul, 2019 • Opinião de Ribeiro Cristovão


Tendo chumbado no primeiro exame, Sporting e Benfica, ficaram a partir de agora mais expostos à exigência dos seus prosélitos.

Os jogos de apresentação das equipas, sobretudo das mais relevantes, despertam sempre um alto e muitas vezes injustificado grau de expectativa.

É o despontar de uma nova temporada, a possibilidade de mostrar novas aquisições, o apalpar do pulso às equipas e tentar descortinar as possibilidades de cada uma nos tempos exigentes que se seguirão.

Benfica e Sporting realizaram ontem os seus jogos inaugurais. Em circunstâncias diferentes e perante adversários desiguais.

Ambos perderam e, curiosamente, pelo mesmo resultado.

Os leões jogaram na Suiça, tendo como adversário uma equipa local que última época desceu à terceira divisão, portanto sem elevada reputação.

Mostrando vinte e dois jogadores, Marcel Kaiser deu oportunidade a todos os que se deslocaram a terras helvéticas.

O onze da primeira parte teve mais qualidade, colocou a sua equipa a vencer, mas nos demais 45 minutos tudo foi mais complicado.

Soou o alarme? Não é caso para exagerar, se bem que se torne necessário melhorar rapidamente a qualidade e eficácia do seu jogo.

O Benfica enfrentou um adversário diferente, para muito melhor. Ainda assim, pelo quarto ano consecutivo os encarnados perdem no jogo estreia.

Bruno Lage experimentou três equipas, tendo ficado campo aberto à sua capacidade e argúcia para poder chegar a uma equipa que permita às aguias competir a nível nacional e internacional.

Os belgas adiantaram-se, chegaram ao dois-zero, e a classe individual de alguns dos seus jogadores jamais permitiu a recuperação benfiquista.

Tendo chumbado no primeiro exame, Sporting e Benfica, ficaram a partir de agora mais expostos à exigência dos seus prosélitos.

Porém, não há, por enquanto, motivos para alarme.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.