Tempo
|
A+ / A-

Extrema-direita. Observatório de Segurança diz que "dificilmente será um problema" em Portugal

27 jun, 2019 - 17:54 • Celso Paiva Sol com Redação

No entanto, o presidente do OSCOT, António Nunes, lembra à Renascença que, embora referenciados pelas forças e serviços de segurança, os grupos de extrema-direita "podem infiltrar-se em movimentos mais reivindicativos do ponto de vista social ou político".

A+ / A-

O último relatório da Europol sobre as tendências do terrorismo na União Europeia na União Europeia alerta para a ação de três grupos de extrema-direita em Portugal: Blood & Honour, Portugal Hammer Skins e o recém-criado movimento neonazi Nova Ordem Social, de Mário Machado.

Conclusões que vêm reforçar aquilo que as autoridades portuguesas já tinham reconhecido no último Relatório Anual de Segurança Interna. À Renascença, presidente do Observatório de Segurança, Crime Organizado e Terrorismo (OSCOT), António Nunes, diz que o fenómeno em Portugal está devidamente monitorizado, mas que é importante não baixar a guarda.

“São grupos que normalmente já estão acompanhados e referenciados pelas forças e serviços de segurança e, por isso, dificilmente se transformarão num problema permanente. O que não quer dizer que eles não possam infiltrar-se em movimentos mais reivindicativos do ponto de vista social ou político e, com isso, provocar danos que serão sempre pontuais”, lembra o presidente do OSCOT.

Um dos principais riscos, diz António Nunes, é que estes grupos consigam infiltrar-se em partidos que estão no sistema democrático.

“Eles podem ter uma representação baixa, mas quando estes movimentos tomam ações violentas, elas podem ter alguma expressão, nomeadamente criar insegurança nos cidadãos. É preciso ter isso em atenção e não deixar que esses partidos que estejam ainda na esfera da democracia sejam penetrados por elementos, esses sim, de violência comprovada. Esses movimentos muitas das vezes expressam-se por ações pontuais, seja do ponto de vista do futebol, seja do ponto de vista dos eventos culturais”, conclui.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+