|

 Casos Ativos

 Suspeitos Atuais

 Recuperados

 Mortes

Fernando Medina-João Taborda da Gama
O presidente da Câmara de Lisboa e um professor universitário (especialista em direito fiscal) a viver na capital olham para os principais temas da atualidade. Às terças e sextas, às 9h15
A+ / A-
Arquivo
Fernando Medina e João Taborda da Gama - Declarações de Ramalho Eanes - 25/06/2019
Fernando Medina e João Taborda da Gama - Declarações de Ramalho Eanes - 25/06/2019

Taborda da Gama

"Epidemia de corrupção" em Portugal? É uma "crítica injusta"

25 jun, 2019


Fernando Medina e João Taborda da Gama debatem, esta terça-feira, as declarações de Ramalho Eanes acerca do sistema político em Portugal e o excedente orçamental nas contas públicas.

João Taborda da Gama considera "injusta" a crítica de Ramalho Eanes, que diz que há uma "epidemia de corrupção" em Portugal. "Temos de estar atentos, fazer sempre mais em relação à corrupção, mas não percebo" estas declarações, vindas de um antigo Presidente da República. "Não é o que se passa, não há uma epidemia", defende o advogado.

Fernando Medina lembra que "é preciso ler a totalidade das declarações" do ex-chefe de Estado. "É verdade que o nosso sistema político é fortemente condicionado pelas escolhas que são feitas dentro dos partidos, isso afasta o mérito e a relevância da participação social dos que são escolhidos", afirma o atual presidente da Câmara de Lisboa.

Sobre esta questão, Taborda da Gama diz também não concordar com as declarações "vagas e abstratas" sobre a reforma do sistema eleitoral. "O que me parece é que é preciso passar para propostas concretas".

O professor universitário lembra que Ramalho Eanes tem estado ligado a várias iniciativas "contra o sistema" que tiveram sucesso, como a candidatura de Sampaio da Nóvoa à presidência da República e o nascimento de um partido, o PRD, que acabou por dar origem a partidos de extrema-direita.

Neste debate, os dois comentadores discutiram ainda o excedente orçamental das contas públicas.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Carlos Costa
    26 jun, 2019 12:22
    É simplesmente verdade o que disse o Senhor Ramalho Eanes. Tomara que fossem muitos como ele.
  • Eduardo Santos
    25 jun, 2019 20:02
    Personalidades públicas como o actual presidente da Câmara de Lisboa deviam ter mais cuidado nas afirmações que produzem, mesmo que pensem (?) estar correcta a sua posição. Neste caso discordo, Ramalho Eanes interpretou bem, e melhor o disse, a situação actual do país, efectivamente há uma corrupção generalizada, quer digam o contrário ou não. Até compreendo as afirmações de Fernando Medina, mas quem defende os seus também merece "castigo". Quem tiver ouvidos para ouvir, que oiça; quem tiver olhos para ver, que não os feche por favor. Obrigado.
  • Antonio Pereira
    25 jun, 2019 11:41
    Desiludiu-me, indignou-me o comentário do Prof. J. Taborda da Gama. Num país que graça o compadrio, a corrupção, o clientelismo, a Justiça nas mãos dos poderosos e uma classe política muito, muito mal vista, vir criticar um Senhor a quem o país deve muito e do qual nunca se aproveitou. Simplesmente Lamentável!!! De que lado está? Até o F, Medina mais visado foi mais coerente.