A+ / A-

Secretário de Estado da Energia acusa antecessor de ter "ignorado" alerta sobre Borba

20 dez, 2018 - 19:17 • Lusa

João Galamba afirma que o antecessor em funções em 2014, no Governo PSD/CDS-PP, não deu andamento aos avisos dos serviços de Economia do Alentejo.
A+ / A-

O secretário de Estado da Energia acusou esta quinta-feira o antecessor em funções em 2014, no Governo PSD/CDS-PP, Artur Trindade, de ter "ignorado" o "alerta" dos serviços de Economia do Alentejo sobre o risco da estrada e das pedreiras em Borba.

Em 2014, a então Direção Regional de Economia do Alentejo, que foi posteriormente integrada na Direção-Geral de Energia e Geologia, "fez vários alertas à Câmara de Borba, participou em reuniões que já foram documentadas publicamente e avisou, enviou o seu alerta, o resultado do seu trabalho, à Secretaria de Estado da Energia do Governo anterior, ao secretário de Estado Artur Trindade", disse João Galamba em declarações à agência Lusa.

No entanto, acusou João Galamba, "esse alerta não teve seguimento, foi recebido e ignorado", porque "entendeu-se que não cabia à secretaria de Estado e ao Governo anterior ter qualquer iniciativa ou diligência sobre essa matéria".

Em 2014, a então Direção Regional de Economia do Alentejo "alertou em reuniões, até tidas com a Câmara de Borba, que havia de facto um risco e alertou também o Governo", insistiu, frisando que "o único Governo que foi alertado para o risco da estrada e das pedreiras de Borba foi o Governo anterior, esse foi o único Governo que recebeu um alerta".


legislativas 2019 promosite
Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Helena Matos
    28 dez, 2018 coimbra 12:42
    O governo de que esta criatura faz parte ja lá está há 3 anos e este caramelo ainda tem a desfaçatez de acusar quem quer q seja de inação. Já se sabe que estes meninos sacodem a água do capote ao mínimo contratempo, quanto mais perante uma desgraça. Foi assim com a tragédia dos fogos de 2017, por duas vezes consecutivas, foi assim com a ala pediátrica do S, João, é assim com a queda da estrada de Borba, é assim com as falências clamorosas no SNS e há de ser sempre assim. Não são capazes de assumir qualquer responsabilidade em coisa nenhuma, a não ser em louros. Esta malta nem os devaneios faraónicos do amiguinho Sócrates, q levou o país à bancarrota em 2011, são capazes de assumir. Foi um fartar vilanagem e tudo caladinho. O país foi à bancarrota com um défice de 11,2 e uma dívida sempre a subir, a economia estagnada, taxas de juro incomportáveis (acima de 9%) e esta criatura e acólitos a viver à grande e à francesa, qual orquestra do Titanic. Depois vieram os "maus da fita" q deixaram de bandeja um défice de 3,2%, uma economia a crescer, o desemprego a baixar, taxas de juros na ordem dos 2% (por alguma razão ganharam as eleições). Dá vontade de dizer: xiça, q é demais, sejam homemzinhos, deixem-se de atirar culpas pra cima dos outros, e, por uma vez, vejam se assumem o que corre mal. O q vale é o PR q de vez em qdo os vai lembrando que tanta irresponsabilidade e incompetência já cheira mal.
  • A. FERREIRA
    27 dez, 2018 OEIRAS 18:19
    E eu acso o PS enquanto Governo de já ter levado o País à derrocada financeira pelo menos duas vezes a última das quais teve as consequências de ainda hoje estarmos a pagar a fatura aproveitado o atual Governo do PS para manter os altos impostos de era da TROIKA e depois dizer que é bom a diminuir deficit mas a aumentar a divida em termos nomiais.
  • Sandro
    20 dez, 2018 Lagos 20:02
    Bem me parecia que 3 anos não são suficientes para mandar fechar uma estrada. Mais vale deixar morrer alguém e depois culpar os outros!