|

 Casos Ativos

 Internados

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Detida viúva de triatleta assassinado

26 set, 2018 - 19:46

Rosa Grilo é suspeita de mandar matar o marido Luís Miguel Grilo. Também foi detido o alegado executor do crime passional.

A+ / A-

Veja também:


A viúva do triatleta Luís Miguel Grilo foi detida esta quarta-feira pela Polícia Judiciária, avança a edição online do Correio da Manhã.

Rosa Grilo, de 50 anos, é suspeita de ser a mandante do homicídio do marido.

Também foi detido um homem que terá sido o autor do assassinato de Luís Miguel Grilo.

Os dois suspeitos serão ouvidos em interrogatório judicial na quinta-feira, onde ficarão a conhecer as medidas de coação.

A Judiciária suspeita que Luís Miguel Grilo terá sido morto em casa.

O triatleta e engenheiro informático desapareceu a 16 de julho, na zona das Cachoeiras, em Vila Franca de Xira, onde morava, depois de, alegadamente, ter saído para fazer um treino de bicicleta.

Durante vários dias, amigos e familiares procuraram Luís Miguel Grilo durante vários dias, mas só foi encontrado o telemóvel da vítima.

O corpo de Luís Miguel Grilo foi encontrado, com sinais de grande violência e em adiantado estado de decomposição, mais de um mês depois, a 26 de agosto, a 134 quilómetros de casa, perto de Alcórrego, Portalegre, onde a família tinha outra residência.

Perante algumas suspeitas que foram surgindo, Rosa Grilo chegou a afirmar que estava de consciência tranquila e que nada tinha a ver com o desaparecimento e morte do marido.

Em declarações à Renascença quando o corpo foi encontrado, Nuno Barradas, treinador do triatleta, fala de um homem apaixonado pelo exercício físico, “bem-disposto”, que levava uma "vida pacata".

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.