|

 Casos Ativos

 Internados

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Primeiro-ministro de Malta agradece a Costa pelo acolhimento de migrantes

29 jul, 2018 - 14:33

Joseph Muscat publicou uma imagem de um grupo de pessoas a embarcar num avião que terá como destino Portugal.

A+ / A-

O primeiro-ministro de Malta, Joseph Muscat, agradeceu ao seu homólogo português, António Costa, por receber um grupo de migrantes resgatados pelo navio “Lifeline”.

No Twitter, Joseph Muscat publicou uma imagem de um grupo de pessoas a embarcar num avião que terá como destino Portugal. O primeiro-ministro maltês agradeceu também a António Costa por cooperar e estar a trabalhar nos acordos sobre as migrações.

O navio “Lifeline”, que transporta 234 migrantes, foi autorizado a atracar num porto de Malta a 27 de junho. No mesmo dia, Eduardo Cabrita, ministro da Administração Interna, disse que Portugal tinha condições para receber cerca de um décimo dos 230 imigrantes que estão a bordo do navio humanitário.

A 1 de julho, uma equipa do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) foi destacada para acompanhar os refugiados do barco Lifeline, em Malta. A equipa era constituída por dois inspectors e tinha a missão preparar o acolhimento dos cidadãos estrangeiros através de entrevistas.

De acordo com o site da televisão pública de Malta, este é o terceiro grupo que deixa Malta. 51 imigrantes foram recebidos por França e 15 pelo Luxemburgo.

O navio “Lifeline” atracou em Malta após seis dias em alto mar, depois de lhe ter sido negada autorização para acostar em Itália. A atracagem aconteceu após um acordo com oito países europeus, aos quais se juntou depois a Noruega, para recolocar os requerentes de asilo. Dos 234 migrantes resgatados, 70 são menores não acompanhados.

O capitão do navio da ONG alemã Lifeline, Claus-Peter Reisch, foi detido depois de o navio atracar em Malta. Foi libertado esta segunda-feira sob fiança de 10.000 euros, após ter sido acusado pelas autoridades locais de irregularidades no registo marítimo.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.