|

 Casos Ativos

 Suspeitos Atuais

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Cruz Vermelha com megaoperação para receber migrantes do Aquarius

16 jun, 2018 - 18:33 • Catarina Santos , em Valência

Navios chegam este domingo de manhã e há a operação de desembarque deve durar várias horas.

A+ / A-

Espanha prepara-se para receber os refugiados do “Aquarius”. São três os navios que vão desembargar os migrantes rejeitados por Itália e Malta e a Cruz Vermelha tem uma operação montada em Valência para acolher as 629 pessoas.

Os migrantes foram distribuídos por três embarcações. A primeira deve atracar às 6h00 da manhã de domingo e as outras duas com intervalos de três horas.

As equipas da Cruz Vermelha confirmaram, em conferência de imprensa, que farão uma primeira abordagem ainda dentro dos navios para fazer a triagem.

Depois de examinados, os migrantes vão sair em grupos de 20 pessoas e ficarão à espera, em zona exclusiva no porto de Valência, para serem identificados e entrevistados.

Todo o processo será acompanhado por centenas de tradutores.

O objetivo é que as pessoas estejam o menor tempo possível naquelas instalações e possam ser realojadas em centros temporários, antes de ser encontrada solução definitiva em Espanha ou em França, outro país que já se ofereceu para receber parte dos refugiados.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • JOAQUIM S.F. SANTOS
    16 jun, 2018 TOJAL 23:34
    Deus distingue os homens entre os que O amam e os que O negam, a partir desta distinção somos todos irmãos e todos queridos ao Seu Coração. Não se pode querer afirmar que um povo é melhor que outro. O que conta aos olhos de Deus é a alma e não o corpo, a sua cor ou o seu lugar de residência. Em compensação, deve ficar bem claro que no estado atual, a emigração praticada com o objetivo de criar desequilíbrios no seio dos países a fim de fazer o jogo globalista é um erro. Ou melhor, é a vontade de satanás de exacerbar o ódio por todos os meios. Se todos se sentissem irmãos, unidos a Deus, a emigração não seria um problema pois não existiria! É um problema que agrava situações conflituosas ou de pobreza em certos países e sonhos de Eldorado noutros. Trata-se sempre de separar e de contribuir para criar um estado de espírito de divisão, de inveja e de ódio. Não é de admirar portanto que se semeiem problemas onde se quer fazer viver conjuntamente pessoas de culturas demasiado diferentes. A cultura deriva sempre do culto, quer dizer da religião. A cultura está sempre ligada, quer o creiam ou não, à crença. Numa comunidade de vida fraterna tais dificuldades não surgem pois cada um está lá em primeiro lugar com a vocação de servir a Deus, amando o seu irmão em Cristo com todo o seu coração, o que permite ultrapassar conflitos de personalidades, e acima de tudo, todos escolheram seguir a regra estabelecida pela comunidade. Retirado de "Alegria de Deus", no Original "Joie de Dieu".
  • Filipe
    16 jun, 2018 évora 21:52
    Deviam antes estes países ou a ONU perceber o que faz esta gente fazer estas expedições e enviar forças para esses países a fim de manterem a ordem Mundial . Agora são 600 daqui a uns dias serão milhões !