Tempo
|
Autárquicas 2021
38,44%
33Câmaras
19,6%
22Câmaras
14,26%
5Câmaras
5,6%
4Câmaras
4,99%
3Câmaras
2,98%
0Câmaras
2,27%
1Câmaras
1,14%
0Câmaras
0,34%
0Câmaras
6,29%
1Câmaras
  • Freguesias apuradas: 1787 de 3092
  • Abstenção: 38,50%
  • Votos Nulos: 1,68%
  • Votos em Branco: 2,37%

Da Capa à Contracapa
Os grandes temas da atualidade em debate à Terça-feira, depois das 23h, na Edição da Noite. Uma parceria da Renascença com a Fundação Francisco Manuel dos Santos.
A+ / A-
Arquivo
Da Capa à Contracapa - A arte de contar e a magia do cinema - 09/06/2018
Da Capa à Contracapa - A arte de contar e a magia do cinema - 09/06/2018

A arte de contar e a magia do cinema

09 jun, 2018


João Lopes e Joaquim Sapinho juntam-se a José Pedro Frazão para falar de cinema nesta edição do Da Capa à Contracapa.

Esta semana no “Da Capa à Contracapa” fala-se do cinema, da forma como o cinema conta histórias e como nos dá um olhar sobre a realidade que mais nenhum meio consegue dar. É um programa sobre a magia do cinema mas também sobre a linguagem do realizador e a forma como ele nos conta a realidade, relata o seu olhar sobre a história.

O convite é para fazer uma viagem que nos junta a todos na mesma máquina do tempo e no desejo que o cinema cria e concretiza: querer voltar a casa, quando nos contam o real.

Para explicar um pouco melhor que regresso a casa é este, são convidados do “Da capa à Contracapa” o crítico de cinema João Lopes, autor do ensaio “Cinema e história, aventuras narrativas”, um texto sobre a importância humana da arte de contar e sobre a magia do cinema. O outro convidado é o realizador Joaquim Sapinho, produtor, diretor de fotografia, argumentista e professor na Escola Superior de Teatro e Cinema de Lisboa.

O “Da Capa à Contracapa” é uma parceria da Renascença com a Fundação Francisco Manuel dos Santos

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.