|
A+ / A-

Portugal "um passo mais perto" da legalização da eutanásia, diz BE

29 mai, 2018 - 18:37

Catarina Martins promete voltar ao tema da eutanásia após rejeição no Parlamento.

A+ / A-

O Bloco de Esquerda voltará ao tema da legalização da eutanásia após as primeiras propostas nesse sentido terem sido chumbadas esta terça-feira por uma maioria dos deputados.

Assim garantiu Catarina Martins, coordenadora de um dos partidos proponentes, no final da votação. “O Bloco de Esquerda voltará, seguramente, a este tema", declarou a líder bloquista. Os quatro projetos a votos, um deles do BE, foram chumbados pelos deputados.

A deputada não esclareceu se o BE vai voltar a apresentar um diploma nesta ou na próxima legislatura. Para Catarina Martins, Portugal está agora “um passo mais perto de ter a despenalização da morte assistida”.

“Foi um caminho que se iniciou neste país. Não foi hoje, mas será”, sublinhou.

“Achamos que este tema não é um tema do Bloco de Esquerda, é um tema de todas as pessoas que, compreendendo que há aqui uma questão para ser respondida, sabem que o Estado não pode continuar a fechar os olhos”, defende Catarina Martins.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Joel
    30 mai, 2018 Largo 16:50
    Irá haver, ou pelo menos deveria de haver, consequências depois do que se passou na votação para a legalização da eutanásia. Uma delas é a de que as pessoas que votam no PS deveriam pensar se realmente os deputados que estão no parlamento são realmente os representantes dos que os elegeram. Ou seja, os eleitores do PS reveem-se na votação a favor da eutanásia? Eu não acredito que dos cerca de 70% de eleitores da minha freguesia que votam no PS, que todos os domingos vão à missa e de vez em quando vão a Fátima a pé, sejam da opinião dos senhores deputados do PS que votaram a favor da eutanásia! Quando é que essa gente abre a pestana! Outra consequência é o que irá fazer o PCP em relação ao PEV. O PCP votou contra a eutanásia e assim salvou Portugal das garras dos anarquistas, dos ateus e dos estalinistas. Será por acaso, ou há algo mais? Haverá intervenção divina? Reparem bem na 2ª revelação de Fátima “Para a impedir (a guerra) virei pedir a consagração da Rússia a meu Imaculado Coração e a Comunhão Reparadora nos Primeiros Sábados. Se atenderem a meus pedidos, a Rússia se converterá e terão paz, se não, espalhará seus erros pelo mundo, promovendo guerras e perseguições à Igreja, os bons serão martirizados, o Santo Padre terá muito que sofrer, várias nações serão aniquiladas, por fim o meu Imaculado Coração triunfará.” Pois eu acredito que o PCP está convertido!
  • João Lopes
    29 mai, 2018 Viseu 21:48
    A seguir e dentro de pouco tempo, o “partido comunista Bloco de Esquerda”, vai ter a sua própria “morte assistida”, sem dor nem compaixão: irá implodir, será reduzido à sua insignificância natural e deixar de andar ao colinho do PS; o PS vai também começar a sofrer as consequências desta tentativa de querer enganar os portugueses num tema fundamental e que não foi falado na campanha eleitoral…
  • Americo
    29 mai, 2018 Leiria 20:32
    Que "lávia" tem esta senhora. Não consegue conviver com a Democracia. Triste...........
  • qqq
    29 mai, 2018 Lisboa 19:41
    “Foi um caminho que se iniciou neste país. Não foi hoje, mas será.” e' o que tem a dizer esta senhora. Portugueses que prezam a vida humana, preparem-se, os inimigos da dignidade da vida humana (e inimigos da democracia) vao voltar a este tema, como fizeram com o aborto. Mesmo que percam, nao desistem de impor a agenda do marxismo cultural. Que mais se pode esperar de Bloco de Esquerda e do PS, seu partido satelite? Os portugueses com valores morais devem responder na mesma moeda; a agenda do marxismo cultural iniciada nos ultimos 30 anos deve ser desfeita se queremos uma sociedade limpa do veneno da escola de Frankfurt.
  • João Lopes
    29 mai, 2018 Viseu 19:12
    A seguir e dentro de pouco tempo, o “partido comunista bloco de esquerda”, vai ter sua própria morte “assistida”, sem dor nem compaixão: irá implodir, reduzir-se à sua insignificância natural e deixar de andar ao colinho do PS; o PS vai também começar a sofrer as consequências desta tentativa de querer enganar os portugueses num tema fundamental e que não foi falado na campanha eleitoral…