|
A+ / A-

Vigílias contra a eutanásia. “Não vai ser só em Portugal"

28 mai, 2018 - 12:57 • Ângela Roque

Para a véspera do debate no Parlamento, estão marcadas mais de 15 vigílias dentro e fora do país, incluindo em Macau, Hong Kong, Rio de Janeiro e Timor Leste.

A+ / A-

Na véspera do debate e votação da eutanásia no Parlamento, e da concentração nacional convocada para a hora desse debate, a Federação Portuguesa pela Vida (FPV) anunciou que vão ser cumpridas várias “vigílias civis” na noite desta segunda-feira. Porto, Braga, Aveiro, Coimbra, Viseu, Guimarães, Barcelos, Vila Nova de Famalicão, Amares, Ponte de Lima e Vieira do Minho são as localidades com concentrações já confirmadas para as 21h30, quase todas junto às respetivas câmaras municipais.

“Foram organizadas um pouco por todo o país, algumas por associações ligadas à FPV, como a iniciativa de Braga, outras organizadas por grupos de cidadãos, como a do Porto e a de Coimbra, da qual a Federação toma conhecimento e anuncia com muito gosto, sobretudo por percebermos que isto é um assunto que interessa de facto à população”, diz à Renascença José Maria Seabra Duque, um dos responsáveis pela campanha “Toda a Vida tem Dignidade”.

Contudo, não será apenas por cá que os portugueses vão estar a mobilizar-se, havendo também vigílias a serem organizadas pela diáspora. "Não vai ser só em Portugal, não", avança Seabra Duque. "Neste momento temos comunidades organizadas para fazer vigílias em Macau, Hong Kong, na Califórnia, em Nova Iorque, no Rio de Janeiro e em Timor Leste."

Para o responsável por uma das campanhas contra a eutanásia, esta mobilização confirma que o assunto preocupa, e muito, os portugueses. Espera, por isso, que muitos se juntem à concentração nacional que a FVP convocou para amanhã, frente ao parlamento, à hora em que os deputados estiverem a começar a debater os projetos pela legalização apresentados pelo Bloco de Esquerda, pelo PAN, pelos Verdes e pelo PS.

“Iremos, esperemos que em grande número, para dizer com clareza aos senhores deputados que não queremos esta lei, que queremos uma sociedade que cuida e que não mata.” É uma mensagem que querem fazer passar até à hora da votação: “Realisticamente sabemos que será uma votação muito renhida, razão pela qual é importante neste último dia continuar a dar a conhecer junto dos deputados, sobretudo do PS e PSD, que existe um povo que não quer a eutanásia.”

A concentração de amanhã foi convocada pela Federação Portuguesa pela Vida no âmbito da campanha “Toda a Vida tem Dignidade”, que não se esgota aqui. “O movimento contra a eutanásia vai muito para além da campanha que organizámos e vai muitíssimo para além da própria Federação Portuguesa pela Vida. Nós quase nos limitámos a marcar dia e hora para a concentração, porque sabemos que esta movimentação da sociedade civil vai muito para além de nós.”

Envolve tanta gente para além da FPV que não se fica pelos católicos. "Temos outras confissões cristãs associadas a nós, por exemplo a Aliança Evangélica Portuguesa, que apoia desde o primeiro momento esta concentração. Para além disso, temos muitas pessoas que não têm qualquer filiação religiosa e que estão envolvidas nesta causa, porque antes de ser um assunto religioso é um assunto de humanidade.”

A manifestação contra a eutanásia está marcada para as 13h30 de dia 29, no Largo de S. Bento.
Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Anónimo
    28 mai, 2018 22:04
    Se a escumalha anti-eutanásia vai fazer vigílias no Brasil, podem muito bem emigrar para lá e viver nesse país controlado pelo fundamentalismo religioso! A sociedade portuguesa avança e vocês não conseguem acompanhar esse avanço por isso vão para o Brasil que está em retrocesso.