Tempo
|
A+ / A-

Operação Marquês. Ordem dos Advogados critica divulgação ilegal de peças processuais

18 abr, 2018 - 19:20

Guilherme Figueiredo lamenta, por exemplo, a falta de contraditório das reportagens que têm sido divulgadas.

A+ / A-

A Ordem dos Advogados repudia as reportagens do Caso Marques e queda do universo BES transmitidas pela SIC.

Considera a Ordem que foi violada a lei processual vigente, nomeadamente pelo trabalho jornalístico não fazer o contraditório.

“A circunstância de não colocar outros intervenientes a discutir aquilo que é dito pela própria narrativa. Não havendo o exercício do contraditório – que também é fundamental na comunicação – é evidente que acaba por afunilar aquilo que é a apreciação que o cidadão faz”, disse o bastonário da Ordem dos Advogados.

Para Guilherme Figueiredo é tão importante a divulgação de imagens e sons de uma peça processual, como a ausência de contraditório.

“As filmagens que são passadas aparecem escolhidas, como recortes. As imagens têm um elemento fortíssimo do ponto de vista subjetivo que têm a ver com aquelas escolhas e não outras, principalmente se tiverem como pano de fundo uma narrativa para a qual ela está preferencialmente constituída”, acrescenta.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.