Tempo
|
A+ / A-

Bispos portugueses seguem conflito na Síria "com muita preocupação"

12 abr, 2018 - 15:49

O conflito sírio passou pelos trabalhos da assembleia plenária da Conferência Episcopal Portuguesa.

A+ / A-

O presidente da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP), D. Manuel Clemente, disse esta quinta-feira, em Fátima, que a escalada de violência que tem marcado o conflito na Síria está a preocupar os bispos portugueses.

"Seguimos o conflito com uma enorme e, enfim, todos e mobilizados no sentido da paz e não do conflito", disse D. Manuel Clemente, no final dos trabalhos da assembleia plenária da CEP.

"Creio que não são só os bispos portugueses, creio que somos nós todos, a sociedade em geral, todos os que estejam minimamente atentos à gravidade de uma situação deste género", prosseguiu o presidente da CEP.

O também cardeal patriarca de Lisboa disse, ainda, que, tal como os bispos portugueses, também estão mobilizados no sentido da paz "os nossos irmãos e crentes em geral" que vivem no centro da convulsão, "secundando muito tudo aquilo que a Santa Sé e o Papa Francisco têm feito no sentido da paz, é por aí que temos de estar. Mas com uma grande preocupação”

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Anónimo
    25 mai, 2018 03:25
    Couto Machado, vá a um dicionário consultar a definição de eutanásia.
  • Joaquim Santos
    12 abr, 2018 Tojal 22:36
    Senhores bispos a preocupação é real, mas de nada vale, se querem a paz mobilizem os nossos cristãos, praticantes ou não, a uma permanente jornada de reza do terço pela paz. Mais nada podemos fazer de útil.
  • couto machado
    12 abr, 2018 Porto 18:22
    A eutanásia já chegou à muito tempo à Síria, sem que as vitimas a tenham pedido. É ver nas televisões o flagelo vivido por essa gente, que é de carne e osso como eu.Haja Deus.