Tempo
|
A+ / A-

Federação pela Vida lança site sobre eutanásia

09 abr, 2018 - 19:18 • Eunice Lourenço

Objetivo é dar argumentos contra a legalização da morte assistida.

A+ / A-

Foi esta segunda-feira lançado um site que pretende servir de argumentário contra a eutanásia.

O site "Toda a vida tem dignidade" é promovido pela Federação Portuguesa pela Vida que também promoveu uma petição com o mesmo nome, que está no Parlamento. Inclui vídeos, artigos científicos e toda a informação que existe sobre o fim de vida.

"Servirá para todos aqueles que acreditam que a vida humana é sempre digna possam, por si mesmos, construir uma campanha de esclarecimento junto de todas as pessoas. Qualquer pessoa em qualquer parte do país, basta ir ao site e tem lá toda a informação", assume José Seabra Duque, um dos promotores, em declarações à Renascença.

O site pretende também estar presente, do ponto de vista da divulgação, nas várias redes sociais, como o Instagram, o Facebook ou o Twitter. "O nosso objetivo é que todas as pessoas que frequentam a Internet – e, hoje em dia, são a esmagadora maioria da população – possam ter acesso rápido e concentrado sobre o tema da eutanásia", resume Seabra Duque.

Além do site, a Federação Portuguesa pela Vida está também a preparar um "grande colóquio" com "nomes importantes da academia e do espectro político" para o fim deste mês, que deve decorrer na Universidade Católica.

"Queremos dar relevância política e cientifica a este tema. É preciso ficar claro que a maior parte dos profissionais e estudiosos que estão ligados à área da saúde estão contra a eutanásia, contra a morte a pedido. Isso é preciso que seja dito, dado a conhecer publicamente. E, ao mesmo tempo, também perceber que existem muitos agentes políticos – na direita e na esquerda – que estão contra a eutanásia", anuncia, José Seabra Duque, dirigente da Federação Portuguesa pela Vida.

A discussão da legalização da eutanásia deve acontecer no Parlamento até junho.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Anonimo
    12 abr, 2018 Febres 18:59
    Sou pela Vida. Porque não os cuidados paleativos a todos os doentes? A dignidade dos Portugueses merece todo o respeito e dedicação dos nossos Médicos. Eles querem respeitar a vida ou atacá-la? Talvez por falta de condições eles optem pelo contrário! Vamos ajudar os Portugueses a chegarem ao fim com dignidade.Quem tem essa missão que respeite a ciência e a procure, que respeite a vida dos que muitas vezes trabalharam com tanta dedicação para o bem da sociedade
  • Anónimo
    10 abr, 2018 22:03
    "Pela vida"? Deve ser como os "pró-vida" americanos que defendem a pena de morte e são contra a criação de um Serviço Nacional de Saúde semelhante aos europeus.
  • Joana Santos
    10 abr, 2018 Lisboa 10:35
    Apesar de ser um tema muito complexo, concordo com o mesmo, tendo em conta os seus prós e contras. Em casos de doenças terminais ou degenerativas (num estado mais avançado), a mesma poderia ser facultada (de acordo com a vontade dos doentes ou dos familiares). É preferível ter um doente em estado vegetativo (como acontece com os doentes com alzheimer ou outras demências, já numa fase mais avançada da doença) ou que o mesmo parta sem o mínimo sofrimento?