Tempo
|
A+ / A-

“Festas Seguras”: 866 detidos, 19 mil doses de droga apreendidas e 3.681 acidentes

03 jan, 2018 - 09:40

Em termos de sinistralidade rodoviária, a PSP registou mais acidentes e mais mortos.

A+ / A-

Entre 11 de Dezembro e 2 de Janeiro, a operação da PSP “Festas Seguras 2017” levou a cabo 1.930 operações de fiscalização. No terreno estiveram 16 mil elementos empenhados em combater a criminalidade e a sinistralidade rodoviária.

Um comunicado oficial revela que foram feitas 866 detenções, das quais 316 por excesso de álcool (menos 11 que no ano anterior), 120 por falta de habilitação legal para conduzir (menos 10), 101 por tráfico de droga (menos 15) e 49 por furto (mais 7).

No mesmo período, a PSP apreendeu cerca de 19 mil doses de droga, com destaque para a cocaína (3.453 doses), heroína (5.533 doses) e haxixe (6.831 doses).

Foram ainda apreendidas 69 armas e cerca de 85 quilos de explosivos.

Ao nível rodoviário, a PSP registou 3.681 acidentes, dos quais resultaram 8 vítimas mortais, 55 feridos graves e 1.060 feridos ligeiros. Comparativamente ao período homólogo do ano passado, verificou-se um aumento do número de acidentes (mais 19) e de vítimas mortais (mais 6), bem como um aumento do número de feridos ligeiros (mais 27) e graves (mais 7).

Durante esta operação, a PSP fiscalizou cerca de 78 mil viaturas e levantou 9.905 Autos de Notícia por Contraordenação em matéria rodoviária, dos quais 379 por uso indevido de telemóvel durante a condução (menos 219 do que no ano anterior), 405 por falta de inspeção (menos 171) e 152 por falta de cinto de segurança (menos 77). Foram submetidos ao teste de alcoolemia cerca de 19 500 condutores.

Foram registadas 2.810 infrações por excesso de velocidade.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.