|

 Confirmados

 Suspeitos

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

380 milhões por "Salvator Mundi", o quadro "secreto" de Da Vinci

16 nov, 2017 - 07:14

Era a última pintura de Da Vinci nas mãos de privados. A tela tem 66 centímetros de altura e foi pintada por volta de 1500.

A+ / A-
380 milhões. Quadro de Da Vinci bate recorde em leilão
380 milhões. Quadro de Da Vinci bate recorde em leilão

O quadro de Leonardo da Vinci "Salvator Mundi" (Salvador do Mundo) foi vendido em leilão por um valor recorde: mais de 380 milhões de euros. A venda, promovida pela casa de leilões Christie’s, aconteceu na quarta-feira e durou cerca de 20 minutos.

A identidade do comprador não foi revelada. O anterior proprietário era um milionário russo, Dmitry Rybolovlev, que adquiriu a obra em 2013, numa venda privada, pelo valor de 100 milhões de euros.

É um dos menos de 20 quadros de Leonardo da Vinci existentes e o único em mãos privadas. A tela tem 66 centímetros de altura e foi pintada por volta de 1500. O quadro mostro o rosto e busto de Jesus Cristo, vestido com roupas renascentistas, e a segurar um globo de cristal.

A obra pertencia ao rei Carlos I da Inglaterra em meados de 1600 e foi leiloado pelo filho do duque de Buckingham em 1763. Depois disso, o quadro desapareceu completamente até 1900, altura em que ressurgiu, tendo sido adquirido por um coleccionador britânico.

Na época, pensou tratar-se de uma obra de um discípulo de Leonardo, e não do próprio mestre.

A pintura foi vendida novamente em 1958 e foi depois adquirida em 2005, seriamente danificada e parcialmente pintada por um consórcio de comerciantes de arte que pagou menos de 8.500 euros.

Estes comerciantes restauraram amplamente a pintura e documentaram a sua autenticidade como sendo uma obra de Leonardo da Vinci.

Antes deste leilão, o recorde de quadro mais caro vendido em leilão pertencia ao quadro de Picasso “As Mulheres de Argel”, vendido por mais de 150 milhões de euros.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • assuncao arrabites
    16 nov, 2017 porto 08:59
    está tudo maluco neste Mundo, depois admiram-se que haja guerras, uma obra que apareceu em 1900, vendida em 1958 e adquerida em 2005, não se sabe por quem, seriamente danificada e restaurada por €8500, vendida em 2013 por 100 milhões de euros e agora por 380 milhões de euros, o meu bisavô neste momento deve estar-se a rir na tumba dos malucos que existe este Mundo, e siga a marinha