|
A+ / A-

O que fazer em caso de incêndio florestal?

16 out, 2017 - 16:48 • Polícia de Segurança Pública

Ligue para o 112 e contacte de imediato os bombeiros e as forças de segurança (PSP ou GNR). Mas há mais.

A+ / A-

Veja também:


Se for surpreendido por um incêndio florestal, a Polícia de Segurança Pública (PSP) aconselha o seguinte:

  • Tome em atenção a proteção da sua habitação, no caso do incêndio se desenvolver nas proximidades;
  • Retire os cortinados inflamáveis e feche todas as persianas ou coberturas de janelas não combustíveis;
  • Remova materiais combustíveis do interior e das imediações da sua casa;
  • Desligue a luz e o gás – esta é uma regra de segurança fundamental para evitar uma explosão;
  • Ponha os objectos que não sejam danificados pela água no interior de piscinas ou de tanques, mas não perca tempo a recolher objectos pessoais desnecessários. Em primeiro lugar está a vida humana, os bens pessoais são substituíveis;
  • Molhe de forma abundante as paredes e os arbustos que rodeiam a casa. Deste modo, irá arrefecer a casa. Se estiver próximo do incêndio e não correr perigo, tente extingui-lo com pás, enxadas ou ramos;
  • As piscinas, os tanques ou locais ou com pouca vegetação são zonas potencialmente mais seguras;
  • Caso as autoridades aconselhem a sua evacuação, obedeça rapidamente mas com calma;
  • Dirija-se sempre na direção contrária à do vento, para evitar ficar cercado pelo fogo;
  • Respire através de roupa molhada – desta forma, evita a inalação de fumo e possível intoxicação;
  • Esteja preparado para evacuar todos os membros da sua família. Não se esqueça do grupo de pessoas mais vulneráveis: crianças, idosos e deficientes;
  • Caso não seja possível pôr a salvo os seus animais atempadamente, solte-os: terão assim maior hipótese de fugir;
  • Depois da evacuação, jamais volte atrás até ordem em contrário.
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Vitor
    17 out, 2017 Suiça 21:00
    Sao uma pouca vergonha voçe demoram a prestar ajuda 6 horas depois cambada de xulos
  • otario ca da quinta
    16 out, 2017 coimbra 23:26
    Quando eu era miudo, a rapaziada dizia: deixa arder meu pai é bombeiro, quando havia bombeiros voluntários, mas agora digo: deixa arder que o S. Pedro apaga, quando o fumo lhe chegar ao nariz. Tanto dinheiro gasto no combate aos fogos e que depois de tudo queimado se fazem elogios a quem nada faz e se ataca sempre os mesmos, os donos dos quintais por os não terem limpos, mas esses que atacam, não serão aqueles interessados em roubar esses quintais? Achei graça a uma noticia que hoje ouvi, que vem de Itália uns aviões ! Obrigado, agora o S Pedro já está a trabalhar.
  • Dora
    16 out, 2017 Dorinda 21:46
    Quem é o autor deste artigo?? Com o que se tem visto só três coisas a fazer "ligue para o 112, faça o testamento e reze um Pai Nosso".
  • Mario
    16 out, 2017 Portugal 17:28
    Nada Esperar que tudo arda depois varrer as cinzas.