Tempo
|
A+ / A-

António Costa. Seca deve ser discutida com Espanha

04 out, 2017 - 19:54

Governante diz que “não se coloca só a jusante, coloca-se também a montante de grande parte dos nossos rios internacionais e onde o problema das respetivas bacias hidrográficas está também a ser crítico no país vizinho".

A+ / A-

O primeiro-ministro, António Costa, defende que o problema da seca deve ser discutido com Espanha "de um modo solidário e entre vizinhos" para "assegurar os melhores níveis de caudais ecológicos" no interesse de todas as populações.

No debate quinzenal, no Parlamento, a questão da seca foi trazida quer pelo deputado do PAN, André Silva, quer pela deputada do PEV, Heloísa Apolónia, tendo o primeiro-ministro referido que, a propósito dos 20 anos da Convenção de Albufeira, é preciso revisitar "o tema da convenção com Espanha" para se ter uma gestão mais adequada dos efectivos.

"Mas, se acompanhar o debate em Espanha, verificará que infelizmente o problema da seca não se coloca só a jusante, coloca-se também a montante de grande parte dos nossos rios internacionais e onde o problema das respetivas bacias hidrográficas está também a ser crítico no país vizinho", sublinhou, em resposta ao PAN.

Por isso, aquilo que António Costa defende é que se discuta e trate esta matéria "de um modo solidário, entre vizinhos, de forma a assegurar os melhores níveis de caudais ecológicos para todos e no interesse de todas as populações".

Outro tema trazido por André Silva foi a necessidade de o Estado "apostar de uma vez por todas no aconselhamento, programação e acompanhamento nutricional por parte de profissionais qualificados".

"Quero assim perguntar-lhe, senhor primeiro-ministro, se a proposta do PAN referente ao reforço de nutricionistas para o Serviço Nacional Saúde e para a Escola Pública terá finalmente expressão neste Orçamento do Estado", questionou o deputado.

Na resposta, o chefe do executivo mostrou disponibilidade "para considerar as propostas do PAN no âmbito do OE 2018".

"Os passos que demos até agora são passos modestos. Houve um reforço dos nutricionistas no centro de saúde, tem havido um trabalho por parte do Ministério da Educação junto das escolas para uma melhoria dos cadernos de encargos na aquisição das refeições escolares de forma a podermos ter uma alimentação mais equilibrada", recordou.

No entanto, Costa disse partilhar o ponto de vista de André Silva de que "o grande investimento que há a fazer é um investimento na qualidade da alimentação desde a infância de forma a prevenir gastos futuros com a saúde".

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • mendes
    06 out, 2017 braga 10:52
    a culpa da seca e do salazar e do passsos coelho e claro a culpa tambem e dos bombeiros e dos avioes que gastaram a agua toda no combate aos incendios --ha e tambem e dos eucaliptos -por isso vamos la acabem com os bombeiros com os avioes e com os eucaliptos
  • Bela
    05 out, 2017 Coimbra 09:04
    Por enquanto a situação das águas dos nossos rios internacionais, ainda se vai resolvendo. Se aquela gente das bandas de Espanha, se lembrar de começaram a andar em guerra uns com os outros...
  • TheBeites
    04 out, 2017 Covilhã 20:51
    A culpa é da catalonha sem vergonha....