A+ / A-

Bispo de Setúbal destaca homem de diálogo e luta contra a pobreza

25 set, 2017 - 11:21

D. Manuel Martins morreu domingo aos 90 anos.
A+ / A-
D. Manuel Martins, o bispo dos marginalizados
D. Manuel Martins, o bispo dos marginalizados

O bispo de Setúbal lamentou a morte de D. Manuel Martins, lembrando “um homem de diálogo e um lançador de pontes” e a sua "luta contra a pobreza”.

Manuel Martins, bispo de Setúbal entre 1975 e 1998, morreu no domingo, aos 90 anos, tendo sido conhecido por "bispo vermelho", durante a crise dos anos 80, pelas denúncias que fez de situações de pobreza e de fome na região.

Em comunicado, o bispo de Setúbal, José Ornelas, lembrou que D. Manuel Martins “foi um homem de diálogo e um lançador de pontes, atitudes particularmente importantes no ambiente crispado que marcava então o panorama social e político nacional, com particular incidência nesta diocese”.

José Ornelas recordou também que “o clima de respeito e colaboração que caracteriza hoje o relacionamento entre a Igreja e a sociedade na península de Setúbal muito deve à atitude lúcida, aberta e reconciliadora do seu primeiro bispo”.

O bispo de Setúbal destacou também a sua “visão social muito para além da vida diocesana” e que deixou um “rasto profundo e incontornável na Igreja e na sociedade”.

“O seu sonho de dignidade humana para todos inspirou e deu força aos seus esforços para mobilizar pessoas e fomentar instituições capazes de irem ao encontro dos mais necessitados, como a Cáritas Diocesana, os Centros Sociais Paroquiais e tantas outras instituições de solidariedade, voluntariado e partilha, que marcaram as origens da nossa igreja diocesana e continuam a fazer parte da sua identidade e do seu projecto”, destacou.

Considerou ainda que Manuel Martins será lembrado pela diocese de Setúbal, “acima de tudo, como o seu bispo, amigo e próximo, desprendido de si, habituado a viver com simplicidade e a passear, a pé ou de bicicleta, pelas manhãs de Setúbal, pai, pastor e irmão, tão inflexível na defesa da verdade e da justiça, como terno, amigo e compassivo no encontro fácil com aqueles que acolhia sorridente”.

As exéquias do bispo emérito de Setúbal realizam-se na terça-feira, pelas 15h00, no Mosteiro de Leça do Balio, onde a partir de hoje tem lugar o velório, informou a diocese de Setúbal.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.