Tempo
|
A+ / A-

Agência Europeia do Medicamento. Moreira confirma que foi informado da candidatura do Porto

17 jun, 2017 - 22:28

O processo de candidatura de Portugal a acolher a Agência Europeia do Medicamento vai ser reaberto de forma a incluir também a cidade do Porto, disse fonte oficial do Ministério da Saúde.

A+ / A-

O presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, disse à Lusa ter sido este sábado informado pelo ministro da Saúde da intenção do Governo de convidar o Porto a candidatar-se a ser sede da Agência Europeia do Medicamento.

"Recebi hoje um telefonema do ministro da Saúde que deu conta da intenção do Governo de rever a deliberação tomada em 27 de Abril e que deu origem à minha carta de 2 de Maio e que se manifestava contra o facto de a comissão incluir apenas a candidatura de Lisboa", afirmou o autarca.

Rui Moreira acrescentou: "O ministro deu-me as explicações que entendeu mas disse-me que o Governo tinha a intenção de convidar a cidade do Porto a integrar essa comissão, no sentido de que Portugal conseguisse dentro dos prazos apresentar a melhor candidatura".

O processo de candidatura de Portugal a acolher a Agência Europeia do Medicamento vai ser reaberto de forma a incluir também a cidade do Porto, disse fonte oficial do Ministério da Saúde.

Rui Moreira deu ainda conta de uma conversa posterior com o vereador do Partido Socialista Manuel Pizarro, informando-o "que a comissão que ele havia proposto em reunião de câmara e tinha sido aprovada por unanimidade, mas condicionada a uma palavra do Governo, deixava de fazer sentido".

E justificou-o, afirmando que, "objectivamente, havia sido conseguido um objectivo maior, ou seja, uma candidatura nacional".

Com Portugal a ter até 31 de Julho para apresentar a candidatura e dizer qual cidade que quer para receber a EMA, Rui Moreira diz preferir "aguardar pela resolução do Conselho de Ministros", e refere que só a partir daí começará a trabalhar no âmbito da comissão nacional.

Depois disso "será agregado um conjunto de valências, de informações que nós temos, através de um conjunto alargado", explicou à Lusa o autarca portuense, que em resumo deu nota dos próximos passos.

"Temos de falar com a indústria, com a associação comercial e associação industrial, temos de ver a questão das estatísticas de hotelaria, ou seja, temos de preparar o nosso argumentário, ponto por ponto, naquilo que são os aspectos que determinarão qual irá ser a cidade portuguesa escolhida", disse.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • joao123
    18 jun, 2017 lisboa 08:40
    Tanta confusão para uma coisa que nem vem para cá...vaidades