Tempo
|
A+ / A-

INE. Portugal perdeu mais de 30 mil habitantes em 2016

16 jun, 2017 - 11:23

A população residente está mais envelhecida: a idade média passou para os 43,9 anos, aumentando cerca de três anos na última década.

A+ / A-

O número de habitantes em Portugal desceu em 2016 relativamente a 2015, com menos 31.757 pessoas, mantendo-se a tendência de decréscimo da população, embora se tenha atenuado nos últimos três anos.

Segundo dados divulgados, esta sexta-feira, pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), em 31 de Dezembro do ano passado, a população residente em Portugal foi estimada em 10.309.573 pessoas, menos 31.757 na comparação com 2015.

Este resultado traduziu-se numa taxa de crescimento negativa de 0,31% e reflecte a conjugação dos saldos natural e migratório negativos.

Nos últimos sete anos, a população de Portugal reduziu-se em 264 mil pessoas, acrescenta o INE.

Estamos (ainda) mais velhos

O envelhecimento da população portuguesa acentuou-se em 2016, quando o número de jovens, com menos de 15 anos, desceu para 1.442.416, ou seja, menos 18.416 na comparação com o ano anterior, enquanto o número de pessoas com 65 anos ou mais aumentou para 2.176.640, mais 35.816.

No ano passado, Portugal tinha 285.616 habitantes com 85 anos ou mais, um número superior em 12.234 ao registado um ano antes.

O número de idosos é superior ao dos jovens desde 2000. Na análise de uma década, o INE refere que, "em 2006, por cada 100 jovens residiam em Portugal 112 idosos, valor que aumentou para 151 em 2016".

Quanto ao índice de dependência de idosos, em 2006, por cada 100 pessoas em idade activa, residiam em Portugal 26 idosos, número que passou para 33 em 2016.

Do total de residentes em Portugal, 5.427.117 são mulheres e 4.882.456 são homens.

Aumento dos nascimentos não compensa óbitos

Em 2016, o número de nascimentos aumentou novamente, para 87.126 nados-vivos, mas não foi suficiente para compensar o número de óbitos, que atingiram 110.535.

Assim, o saldo natural negativo manteve-se, ficando nos 23.409, quando em 2015 era 23.011.

Quanto à outra componente da análise da evolução da população, o número de emigrantes (pessoas que saem para morar em outro país) diminuiu e o de imigrante (estrangeiros que vêm residir em Portugal) estabilizou, mantendo-se o saldo migratório negativo, em 8.348, "ainda que mais atenuado na comparação com 2015", explica o INE.

Eram 38.273 os emigrantes permanentes em Portugal, menos que os 40.337 estimados para 2015.

Os imigrantes ficavam nos 29.925 quando um ano antes eram 29.896.

O número estimado de emigrantes temporários continua a ser superior ao de emigrantes permanentes, situando-se em 58.878, o que reflecte um decréscimo de 3,2% relativamente a 2015 (60.826).

Em 2016, aponta o Instituto, a idade média da população residente em Portugal estava nos 43,9 anos, tendo aumentado cerca de três anos na última década.

[notícia actualizada às 13h13]

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • rosa
    16 jun, 2017 lisboa 12:07
    essa noticia e uma mentira porque segundo a catarina o geronimo e o costa -com o aumento das pensoes e do ordenado minimo nao houve mais imigracoes e milhoes de imigrantes que imigraram em 2014 e 2015 regressaram em 2016
  • Leão de Amsterdam
    16 jun, 2017 Amsterdam 11:43
    Com tantos acidentes nas estradas portuguesas,com tantos cortes nos salarios dos Portugueses mais desfavorecidos ainda querem que se faça filhos em barda,para QUÊ? PASSAR FOME ?