Tempo
|
A+ / A-

Interpol “nunca tinha visto nada” como o ataque informático de sexta-feira

14 mai, 2017 - 12:54

O ataque fez 200 mil vítimas, garante Rob Wainwright, e o número ainda pode aumentar.

A+ / A-

O director da Europol garante que nunca tinha nada parecido com o ciberataque da passada sexta-feira.

Em entrevista ao canal britânico de televisão ITV, Rob Wainwright, revelou que esse ataque informático provocou 200 mil vítimas, a maioria empresas, em pelo menos 150 países e deixou no ar a preocupação de que o número de vítimas aumente quando “as pessoas voltarem ao trabalho na segunda-feira e ligarem os computadores”.

O facto de o ataque ter atingido alvos “de forma indiscriminada” e de se ter espalhado muito rapidamente, aumenta as preocupações da Europol.

O ataque, lançado na sexta-feira, afectou pelo menos hospitais britânicos, o fabricante de automóveis francês Renault, o sistema bancário russo, o grupo norte-americano FedEx e universidades na Grécia e na Itália.

Em Portugal, a EDP cortou os acessos à Internet para prevenir ataques informáticos e a Portugal Telecom alertou os seus clientes para o vírus perigoso pedindo cautela na navegação na rede e na abertura de anexos no email.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • couto machado
    14 mai, 2017 porto 14:00
    Era bom que todos nós aprendesse-mos sobre esta matéria...estou convicto que a maioria dos utilizadores de computadores, não sabem nada sobre estas consequências.