A+ / A-
Faith's night out

Ricardo Araújo Pereira aos crentes. “Nós somos muito mais parecidos do que parece. Eu sou igual a vocês"

19 fev, 2017 - 00:49

Em noite de “Faith’s Night Out”, o humorista Ricardo Araújo Pereira afirmou que também para ele o mundo é “demasiado grande, áspero e assustador”. As “Ted Talks” sobre a fé reuniram 1470 pessoas que encheram o Centro de Congressos de Lisboa.
A+ / A-
“Sou um ateu especial”. Ricardo Araújo Pereira antecipou na Renascença o que disse aos católicos
“Sou um ateu especial”. Ricardo Araújo Pereira antecipou na Renascença o que disse aos católicos

Esta quarta edição das conversas sobre a fé reuniu 12 oradores, cada um com 7 minutos, para responder à pergunta “É possível amar o mundo?” - foi esta a proposta deste ano da “Faith’s Night Out”. O evento organizado pelas Equipas de Jovens de Nossa Senhora encheu o auditório. Quase 1.500 pessoas – e outras 500 não conseguiriam comprar bilhete – para ouvir os testemunhos do padre José Tolentino Mendoça, de Ricardo Araújo Pereira, do professor António Gentil Martins e de Cuca Roseta, entre outros. Houve também espaço para dois momentos musicais. O grupo Projecto Parábola e Rão Kyao puseram a plateia a cantar.

“Somos muito mais parecidos do que parece. Eu também estou à procura de consolo, também estou sozinho, o mundo para mim também é demasiado grande, áspero, assustador”. Foi com esta frase que Ricardo Araújo Pereira, o único não-crente do painel, começou a sua intervenção sobre “O que o mundo espera dos crentes”. O humorista ressalvou que não se considerava ninguém para poder falar pelo mundo e que os crentes “não estão fora do mundo”. Em jeito de resposta ao tema que lhe foi proposto pela organização, Ricardo Araújo Pereira deixou um pedido: “Não se esqueçam que são crentes” e “mantenham a vossa fé.”

Numa noite em que se discutiu a fé, foi também abordado o tema da santidade. O padre José Tolentino Mendonça disse que “a santidade não é uma coroa de glória”. O professor da Universidade Católica diz que a santidade tem sido considerada “uma coisa tão extraordinária e abstracta, uma coisa tão abstrusa, pietista e inalcançável que nunca ouvimos falar dela”. E frisou que a santidade não é só para alguns, é antes “a vocação mais comum e inclusiva”.

Nesta conferência, houve igualmente espaço para falar de redes sociais. Maria e Pedro Lebre de Freitas têm uma equipa de casais e dão cursos de preparação para o matrimónio. O casal alertou que, por vezes, ao querermos fotografar ou filmar um momento, acabamos por não desfrutar dele. Embora as novas tecnologias também sirvam para nos aproximar uns dos outros, o casal relembrou que muitas vezes, as redes sociais têm um lado negativo: “mostram que estamos demasiados focados em alimentar o nosso ego”.

A fadista Cuca Roseta falou da sua experiência pessoal na fé e contou que é na sua profissão que se sente verdadeiramente um instrumento de Deus. Sem fé a fadista não conseguiria aguentar a vida por vezes cansativa que leva, confessou. E fez outro desabafo: tem a certeza de que tudo na sua vida ganha sentido com Deus, até a dor.

O último orador da noite foi D. José Ornelas de Carvalho. O bispo de Setúbal terminou convencido de que a pergunta “É possível amar o mundo?” tinha sido respondida. “Este mundo não é perfeito. E é por isso mesmo que é preciso amá-lo porque só se conserta com amor”.


legislativas 2019 promosite
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Hugo
    20 fev, 2017 Montemor o Velho 18:34
    Sim o Senhor Ricardo Araújo Pereira tem razão em ser um ateu especial, pk não sofreu e deixaram no voar e ser livre, já alguns que não são católicos sofrem discriminações e outros julgamentos...pior do que acontece nos livros ou no cinema, fazer da dor e sofrimento um espectáculo bárbaro e criminoso, onde está o respeito pelo próximo? por parte de todas as religiões!
  • Alexandre
    19 fev, 2017 Lisboa 15:12
    Ricardo Araújo Pereira, vai fazer a barba.
  • Manuel Pio Silva
    19 fev, 2017 Lisboa 11:30
    Uma catequese com gente do mundo, que ao que parece está atrasada no caminho da Fé. Alguma referência à Encarnação para a salvação do Homem? Alguma referência à presença real de Jesus nos Sacramentos? Não, é tudo social. "Eu quero e Deus que me ajude". É esta a Igreja Portuguesa, feita de logística e politicamente correcto, de testemunhos VIP, que não convertem ninguém.
  • marina
    19 fev, 2017 PORTO 10:26
    Caro RAP confesso que algumas das suas piadas até são engraçadas, repito algumas... No que diz à sua actividade de comentador politico, o sr prestaria um bom trabalho se se retirasse. Intervenções sem conteúdo, um acérrimo apoiante de Socrates, um anti-Passos, está constantemente a atacar a Fé dos crentes.... um comentador sem preparação, sem conhecimentos de economia.... disparates ignorantes a toda a hora, e depois mete a piadinha para arredondar... Fale dos seu benfica e fique-se por aí!!!!
  • Pedro Cabral
    19 fev, 2017 Portugal 09:50
    Um palhaço armado em pregador! Ao estado a que chegou a Igreja fundada por Pedro em Portugal! A igreja católica portuguesa parece aquele "macaco, que em águas fundas, ao invés de tentar nadar, agarra-se aos cabelos e põe-se a gritar, e quanto mais grita mais ao fundo vai"! A Igreja de Pedro tem mais de 2000 anos e não é esta crise e a que se aproxima ( maior muito maior) a passos largos que vai abalar as fundações da essência da humanidade, que é Deus!