A+ / A-

Milhares de peregrinos na abertura do ano jubilar

27 nov, 2016 - 16:03 • Paula Costa Dias

D. António Marto exortou os peregrinos a despertarem da vida material.
A+ / A-

Milhares de peregrinos assistiram à abertura do ano jubilar das aparições de Fátima.

Na capelinha recitaram o Rosário, seguindo depois em peregrinação acompanhando a imagem de Nossa Senhora que passou sob o pórtico instalado no alto do recinto, em direcção à Basílica da Santíssima Trindade.

Ali, o bispo da diocese de Leiria-Fátima exortou os peregrinos a despertarem da vida material. Segundo D. António Marto, “também hoje nós podemos viver adormecidos, distraídos, anestesiados pelo ramerrame do dia-a-dia”.

O bispo explicou que “comemos, bebemos, trabalhamos, casamos, fazemos a nossa vida de família mas ficam de fora a fé, o amor de Deus”. Por isso, exortou o prelado, “é hora de despertar.”

Na homilia do ano jubilar, o bispo da diocese de Leiria-Fátima lembrou ainda que o Advento que hoje começa é também um convite à conversão.

Para D. António Marto, é “um apelo a revestir-se das armas da luz que Deus oferece, um apelo a um rearmamento espiritual e moral das consciências para viver a paz de Deus, a paz do coração consigo mesmo, a paz com os outros, entre os povos”.

De acordo com o bispo, “o milagre mias importante de Fátima é a conversão do coração e da vida de tanta gente, sem dar nas vistas, e que alastra pelo mundo inteiro.”

Depois da homilia, a imagem da Virgem regressou à capelinha das aparições onde foi rezada a oração da consagração a Nossa Senhora.


legislativas 2019 promosite
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.