Tempo
|
A+ / A-

​Forte de Peniche já não vai ser concessionado a privados

10 nov, 2016 - 17:21

"Entendemos que o que se fizer ali tem que respeitar a perpetuar a memória de luta pela democracia", declarou o ministro da Cultura.

A+ / A-

O Forte de Peniche vai ser retirado da lista de 30 edifícios que o Governo vai concessionar parcialmente a privados, anunciou esta quinta-feira no Parlamento o ministro da Cultura, Luís Castro Mendes.

Em resposta a uma pergunta do Bloco de Esquerda, num debate na especialidade da proposta de Orçamento do Estado para 2017, Castro Mendes revelou que, por agora, o forte onde estiveram presos activistas anti-ditadura vai ser retirado do programa Revive.

"Entendemos que o que se fizer ali tem que respeitar a perpetuar a memória de luta pela democracia", declarou o ministro da Cultura.

O ministro da Cultura também, no Parlamento, que está a estudar a instalação de um sistema de vigilância electrónica no Museu Nacional de Arte Antiga (MNAA), na sequência do acidente que danificou uma peça.

O governante apontou que o acidente com um turista "não resultou da falta de vigilância, porque havia um vigilante perto que até avisou o visitante".

"Mas só um super-homem seria suficientemente rápido para salvar a peça", ironizou o ministro, acrescentando que "mesmo que existisse um sistema electrónico de segurança, o facto de disparar não evitaria" a queda da obra do século XVIII.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Mário Guimarães
    28 dez, 2016 Lisboa 10:28
    Perpetuar a memória dos traidores à Pátria ! Daqui fugiu um apaniguado da antiga União Soviética! No Panteão está o General Coca-cola a quem os amaricães preparavam as manifestações contra Salazar. O Povo esse é manipulado pela sua bondade e estupidez natural acreditando em tudo o que mexe ! Portugal graças a estes tipos já não é dos portugueses.
  • JC
    11 nov, 2016 Lisboa 09:29
    O Sr Ministro Nâo habitou alguns anos o Nº 4 / 3º esq da Rua Candido de Figueiredo ( S. Domingos de Benfica ) em Lisboa? Se sim, porque não incluir este quarto nos Monumentos Nacionais?
  • rui vieira
    10 nov, 2016 ourem 22:04
    graciano, gostei do teu comentario, tens razao no que escreveste.
  • Faz falta...
    10 nov, 2016 Português de portugal 19:44
    Fazia era falta para por lá certos senhores traidores da pátria e do nobre povo lusitano...
  • graciano
    10 nov, 2016 alemanha 17:40
    os herois da democracia ou os traidores da patria e pelo que sei e nao sou ignorante nenhum --esses herois desgracaram um pais chamado portugal essa ditadura de que falais era bem melhor do que esta porca liberdade de hoje onde so quem for corrupto conssegue viver sem problemas eesa democracia honde ha pobres sem tostoes e politicos com milhoes esse ditador que criticais murreu pobre mario soares democrata esta rico
  • Portugal
    10 nov, 2016 Portugal 17:37
    O facto de passar a existir uma pousada ou hotel no forte de Peniche não tirava dignidade ao espaço. Agora serão os contribuintes a pagar as obras de manutenção do forte de Peniche. Os portugueses queixam-se que pagam muitos impostos mas, pelos vistos ainda querem pagar mais.