|

 Casos Ativos

 Suspeitos Atuais

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

GNR mantém dispositivo nas buscas ao suspeito de Aguiar da Beira

20 out, 2016 - 00:24

Neste momento, o objectivo da GNR é o de "garantir a segurança das populações" para que "não se sintam inseguras" com os acontecimentos dos últimos dias.

A+ / A-

A GNR mantém o mesmo dispositivo das últimas horas no terreno para tentar deter o suspeito dos assassínios de Aguiar da Beira, com a preocupação de "garantir a segurança das populações".

O responsável das Relações Públicas da GNR, major Mário Cruz, adiantou à agência Lusa que se "mantém o mesmo dispositivo que está a realizar acções de patrulhamento para localizar o presumível homicida", acrescentando que estas se estendem até Vila Real.

Neste momento, o objectivo da GNR é o de "garantir a segurança das populações" para que "não se sintam inseguras" com os acontecimentos dos últimos dias.

"Entendemos que a população esteja preocupada com esta situação", declarou.

A operação envolve também elementos da Polícia Judiciária (PJ), responsável pela investigação do caso, uma vez que houve mortes e uso de armas de fogo.

Pedro Dias, o homem suspeito de matar um militar e um civil, em Aguiar da Beira, distrito da Guarda, além de ter causado ferimentos a outras duas pessoas, uma delas também militar da GNR, tem sido procurado pela GNR e pela Polícia Judiciária desde o dia 11, data dos primeiros acontecimentos.

Na fuga, o homem terá sido já localizado em Arouca, distrito de Aveiro, de onde será natural, e na zona de São Pedro do Sul, onde um militar da GNR se terá baleado a si próprio, numa queda.

No domingo, uma patrulha da GNR também terá localizado o suspeito, em Vila Real, mas o homem acabou por conseguir novamente fugir.

Na segunda-feira, ao final da tarde, junto à aldeia de Carro Queimado, naquele concelho transmontano, foi encontrada a viatura que o homem terá roubado em Arouca para se deslocar até Vila Real. Em Arouca, o homem também terá sequestrado duas pessoas, causando-lhes igualmente alguns ferimentos.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Zé Tuga
    20 out, 2016 Conchinchina 00:39
    Que vergonha einh polícia ! estamos bem servidos quando for um caso de terrorismo .