|

 Casos Ativos

 Suspeitos Atuais

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Governo diz que candidatura de Guterres à ONU é "um imperativo"

22 jan, 2016 - 13:49

Governo confirma que vai apresentar a candidatura de António Guterres a secretário-geral das Nações Unidas.

A+ / A-

O Governo anunciou esta sexta-feira que a candidatura de António Guterres a secretário-geral das Nações Unidas é “um imperativo” e destacou “a forma exemplar” como exerceu altos cargos internacionais, considerando que possui “as melhores condições” para este mandato.

Num comunicado divulgado esta sexta-feira pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros, o executivo anuncia que vai apresentar a candidatura de António Guterres a secretário-geral das Nações Unidas.

“É nossa firme convicção que o engenheiro António Guterres é a personalidade com melhores condições para exercer esse mandato, correspondendo à necessidade de enfrentar os desafios que hoje se colocam à comunidade internacional”, afirma a nota emitida pelo gabinete do ministro Augusto Santos Silva.

O Governo considera que a “longa experiência política” e “a forma exemplar” como o antigo primeiro-ministro socialista exerceu altos cargos internacionais “demonstram cabalmente os méritos desta candidatura, que o Governo entende constituir um imperativo, num tempo em que, mais do que em qualquer outro, o mundo se tem de mobilizar em torno da paz e do desenvolvimento”.

António Guterres foi alto comissário das Nações Unidas para os Refugiados durante dez anos. Terminou o mandato em final de 2015.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.