A+ / A-

Deputado do PAN sabe o que comer, mas não como votar o programa de governo

23 out, 2015 - 14:34

André Silva começa a conhecer os cantos à Assembleia da República. Na cantina já sabe que “há pratos vegetarianos todos os dias, mas se não houver não há problema, como os acompanhamentos".

A+ / A-

O deputado do partido Pessoas-Animais-Natureza (PAN), André Silva, disse esta sexta-feira que ainda não sabe qual será a sua intenção de voto à moção de rejeição ao programa de Governo da coligação PSD/CDS-PP, tomando a decisão quando obtiver mais informações.

"Ainda não. Estamos a analisar em função do desenvolvimento, nos próximos dias, do momento político e de obter mais informações e, assim, tomaremos a nossa posição", afirmou à agência Lusa o estreante André Silva, quando questionado, no Parlamento, sobre a intenção de voto do PAN à moção de rejeição ao programa de Governo, decidida na quinta-feira à noite pela comissão política do PS.

Pela primeira vez, o PAN elegeu um deputado para a Assembleia da República numa legislatura que André Silva considera "desafiante".

“Os portugueses disseram que não querem maiorias absolutas de um partido apenas e querem que exista um entendimento. Aquilo que tem sido pedido é que exista um entendimento entre os vários partidos para formar um Governo estável de quatro anos. São tempos que vivemos e é necessário que exista este tempo para que se consigam formar supostos grupos", disse.

Questionado se o PAN poderá fazer parte desta alternativa, o deputado respondeu que "não está nada em cima da mesa" e o partido "não fez parte, até ao momento, de qualquer negociação".

PAN omisso do sistema informático

Depois da primeira sessão plenária, André Silva foi fazer o "acolhimento" dos seus dados biográficos, uma tarefa que não foi fácil, tendo demorado o deputado mais de uma hora para preencher os dados.

"Houve um problema qualquer informático porque o PAN ainda não existia e todos os outros grupos políticos já existiam. Houve ali um compasso de espera, mas tudo fico resolvido", afirmou André Silva, admitindo que o dia número um na Assembleia da República está a ser "agradável" e está a ser recebido "com toda a cortesia e simpatia".

Com ar informal, de sapatilhas e sem gravata, André Silva ainda está a conhecer "os cantos à casa" e tem como pontos de referência as escadarias, corredores, paços perdidos e a zona da cantina, onde já sabe que pode comer refeições vegetarianas.

"Há pratos vegetarianos todos os dias, mas se não houver não há problema, como os acompanhamentos", disse.

Na primeira sessão da legislatura, André Silva sentou-se na terceira fila do Parlamento e ao centro, entre PSD e PS, mas o deputado espera que esta questão possa ser analisada na próxima conferência de líderes.

"Não é uma questão de gosto, foi um lugar sugerido pela conferência de líderes da antiga legislatura. Será reavaliada essa questão na próxima conferência de líderes desta legislatura", referiu.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • 24 out, 2015 21:49
    Não são carne nem peixe, assusta-me este tipo de pessoas e partidos sem objetivos recebidos!!!!
  • Zé do Vouga
    23 out, 2015 Aveiro 23:25
    Sr. José Saraiva de bijeu, por acaso, o fulano sabe que todo o cidadão deve respeito ao seu semelhante? Ou será que o amigo e família são um caso raro de quadrupedo a abitar neste planeta que sabe falar.
  • Soraia
    23 out, 2015 Lisboa 20:23
    E que vá limpar a porcaria de mural que pintou no marques de pombal, em propriedade publica, como um acto de desrrespeito pela natureza e bem comum. Uma atitude anarquista. Menino.
  • um eleitor
    23 out, 2015 lisboa 18:29
    por amor de deus, já que é do pan devia comer era palha, santa ignorância...
  • Luís
    23 out, 2015 Évoira 18:13
    Com tantos inteligentes à sua volta, que ainda não conseguiram tirar, Portugal da crise, ainda se perde. Ou arranja um tacho para se safar, ou leva um gato para o Parlamento para lhe fazer companhia. Também tem um computador à frente para se distrair na internet. Em relação a fazer joginhos políticos com o PS, BE ou PCP, não sei se consegue, visto considerarem o PAN um movimento sem expressão que mal consegue respirar. Ainda não percebeu que está de passagem. Além disso daqui a dez dias o Parlamento e a Coligação PAF irão cair e o PAN volta à sua rotina diária de cidadão que paga para os homens e mulheres inteligentes jogarem ao jogo do zé povo. Finalmente irá descobrir que viver em democracia é mesmo porreiro "pá", é enriquecer a pouco e pouco e que ser político é mesmo o sonho da sua vida. Cuidado com os amigos e nunca peças dinheiro emprestado.
  • Jacob
    23 out, 2015 Sintra 17:27
    "PAN omisso do sistema informático" fico abismado com a claresa e simplicidade da midia actualmente! Não bastava para serem mais claros: "PAN esquecido no sistema de informática". A palavra "omisso" é geralmente usado em conotação negativa em frases "voz activa" e não "voz passiva" como esta. Estão tentando passar a primeira impressão errada!
  • Jose
    23 out, 2015 Ferreira 17:16
    Este "abraçou" uma causa nobre: a defesa dos animais. Foi buscar algum à campanha, sacou um tacho para ele e, indiretamente, para os amigos, mas de política pouco percebe. Ainda vão ter que lhe explicar o que é esquerda e direita. Mais um disléxico político. Lembra-me o Manuel Sérgio, o fernando nobre, o hermínio martinho, e o proto-eleito Marinho Pinto. São os nossos "Pepe Grillos"!
  • Artur
    23 out, 2015 Lisboa 16:47
    Eu não estaria preocupado com as refeições, visto que até nisso os políticos nos vão ao BOLSO, refeições de luxo pagas a preço da "sopa dos pobres. O que me deixaria preocupado é o facto de não ter sido convidado pelo PS (partido Salazarista, mas que nem a categoria nem a inteligência do Dr. Salazar têm) não o ter convidado, para a cabala democrática) que estão a fazer. De facto não é de estranhar, pois o seu apoio não era necessário, porque mesmo sem o seu apoio, o cidadão António Costa, consegue juntamente com aqueles (cuja campanha foi feita só na base de tentar aniquilar o PS) obter a maioria.
  • Carlos Gaspar
    23 out, 2015 Caldas da Rainha 16:28
    Eu, numa situação destas, nunca me apresentaria a um sufrágio Nacional. Mas o que é isto? Um "fulano" eleito deputado que não sabe o que vai para lá fazer? Poupe-me!
  • José Saraiva
    23 out, 2015 Viseu 15:47
    Em um local tradicionalmente frequentado por BURROS ...não será difícil conseguir uma REFEIÇÃO VEGETARIANA....A PALHA ABUNDA...