|

 Casos Ativos

 Suspeitos Atuais

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Temperaturas voltam a subir no domingo. Aumenta risco de incêndio

19 out, 2017 - 19:36

O aviso é do Instituto Português do Mar e da Atmosfera.

A+ / A-

As temperaturas vão subir até aos 30 graus entre domingo e quarta-feira, devendo o risco de incêndio voltar a aumentar já a partir de sábado, informa o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

"A precipitação entre 16 e 21 [Outubro] não deverá ter impactos significativos na diminuição da situação de seca, em particular nas regiões do interior e no Algarve, devendo o risco de incêndio voltar a aumentar já a partir de dia 21 [sábado], pelo menos até 25 de Outubro [quarta-feira]", indicou o IPMA, sublinhando o regresso do "tempo seco após semana com precipitação".

De acordo com o aviso divulgado esta quinta-feira, prevê-se uma subida da temperatura do ar para valores máximos entre 25 e 30 graus e humidades relativas do ar inferiores a 40% no período da tarde nas regiões do Interior, até 25 de Outubro.

Segundo o IPMA, entre domingo e quarta-feira "prevê-se um novo período sem precipitação, havendo uma probabilidade entre 20 e 40% de ocorrência de precipitação nas regiões Norte e Centro entre 26 e 28 de Outubro".

"Desde 16 de Outubro iniciou-se um período de precipitação que deverá prolongar-se até 21 de Outubro, com maior incidência nas regiões do litoral Norte e Centro, sendo o Algarve a região com menores quantidades de precipitação", refere o aviso do IPMA hoje divulgado, acrescentando que a temperatura do ar, neste período, desceu para valores normais para a época do ano.

As centenas de incêndios que deflagraram no domingo, o pior dia de fogos do ano segundo as autoridades, provocaram 43 mortos e cerca de 70 feridos, mais de uma dezena dos quais graves.

Os fogos obrigaram a evacuar localidades, a realojar as populações e a cortar o trânsito em dezenas de estradas, sobretudo nas regiões Norte e Centro.

O Governo decretou três dias de luto nacional, entre terça-feira e hoje.

Esta é a segunda situação mais grave de incêndios com mortos este ano, depois de Pedrógão Grande, em Junho, em que um fogo alastrou a outros municípios e provocou, segundo a contabilização oficial, 64 mortos e mais de 250 feridos. Registou-se ainda a morte de uma mulher que foi atropelada quando fugia deste fogo.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Sai palha
    21 out, 2017 Lisboa 08:42
    Os incendiários lá vão ter mais uma tarefa. Neste momento já devem ter estudado qual a altura mais favorável a qual onde a velocidade do vento for maior. E outras condições, sim porque para além de serem gente competente não brincam em serviço.
  • Nuno Guimarães
    20 out, 2017 22:46
    EI!!!! Avisem quando existirem as condições ideais para incendiar e já agora continuem a indicar os concelhos mais vulneráveis ao fogo no dia. Os incendiários precisam de estar informados. E já agora digam também quanto deram a cada pessoa e empresa afetada pelos incêndios. Aindam restam algumas árvores e pássaros por aí que precisam ser dizimados.
  • fanã
    20 out, 2017 aveiro 18:31
    Terminologia inadequada . " Risco de incêndios" ????? ; seria mais "Risco de incendiários " !!!.....
  • José Saraiva
    20 out, 2017 Lisboa 16:41
    Óh Costa, cuidado Costa.
  • MM
    19 out, 2017 Porto 21:50
    Depois não digam que não foram avisados.
  • 19 out, 2017 aldeia 20:05
    Lá voltam os mercenários do fogo........