|

 Casos Ativos

 Internados

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Ministra não sai. "Seria mais fácil ir-me embora e ter as férias que não tive"

16 out, 2017 - 11:38

Urbano de Sousa reconhece que o "mais fácil seria a demissão", mas que isso não resolveria os problemas.

A+ / A-

A ministra da Administração Interna, Constança Urbano de Sousa, rejeita sair do cargo, depois deste domingo em que morreram pelo menos 27 pessoas na sequência de incêndios.

"Estou empenhada a trabalhar numa situação que é extraordinária", afirmou aos jornalistas.

"Para mim seria mais fácil, pessoalmente, ir-me embora e ter as férias que não tive, mas agora não é altura de demissões", afirmou a ministra depois de questionada varias vezes sobre as suas condições para permanecer no cargo.

Constança Urbano de Sousa diz que a sua saída não resolveria "os problemas estruturais".

A ministra atribui as dificuldades sentidas pelos bombeiros ao elevado número de ignições, considerando que parte da responsabilidade está do lado das pessoas que têm "um comportamento negligente".

Pelo menos 29 pessoas morreram nos mais de 500 incêndios que deflagraram no domingo, o pior dia do ano em fogos, revelou a Autoridade Nacional da Protecção Civil (ANPC). Há ainda a registar 51 feridos.

O primeiro-ministro, António Costa, anunciou que o Governo assinou um despacho de calamidade pública, abrangendo todos os distritos a norte do Tejo, para assegurar a mobilização de mais meios, principalmente a disponibilidade dos bombeiros no combate aos incêndios.

Portugal accionou o Mecanismo Europeu de Protecção Civil e o protocolo com Marrocos, relativos à utilização de meios aéreos.

Esta é a segunda situação mais grave de incêndios com mortos este ano, depois de Pedrógão Grande, no verão, um fogo que alastrou a outros municípios e que provocou 64 mortos e mais de 200 feridos.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Ana Maria Fernandes
    18 out, 2017 Gradil 00:34
    Sra. Cristas, porque fala e critica? Lei Livre para plantação de eucaliptos, esqueceu?
  • Manu
    17 out, 2017 Mart 18:53
    Coitadinha,... tu não precisas de férias, tu precisas é de ser internada no Júlio de Matos!
  • sergio
    17 out, 2017 vagos 13:47
    O excesso de confiança poderá ser um mau presságio. Depois do aconteceu em Pedrógão Grande, "ninguém" pensou que a tragédia se poderia voltar a repetir. Mas certo é que aconteceu! Já que tanto se fala em prevenção, que tal começar por prevenir que os "responsáveis" pela segurança do Povo garantam a sua competência.
  • ao sergio
    17 out, 2017 pt 12:49
    Ainda esperas por mais vindas do diabo?...Já chega toda esta tragédia!
  • Sergio
    17 out, 2017 Vagos 12:18
    Há pessoas que definitivamente vivem na ignorância... Será que esta senhora ainda não conseguiu perceber que é completamente incompetente para o lugar que ocupa? E prova disso é o rasto de destruição que varreu o país, numa completa inoperância de quem devia em primeiro lugar zelar pela proteção do Povo. Eu honestamente, para mim já nem é a responsabilidade pelo que aconteceu, mas sim o receio do que poderá vir no futuro...
  • O tuga hipócrita
    17 out, 2017 Port 08:41
    Gosta mais de viver na hipocrisia do que aceitar as declarações frontais e reais!...virgens ofendidas!
  • Carolina Cardoso Por
    17 out, 2017 ALCABIDECHE 06:02
    Em todos os países civilizados se demitem os ministros que dão prova pública de tanta incompetência. O que se passa com os Portugueses?
  • Rui
    16 out, 2017 Lisboa 19:44
    Faz bem em não abandonar as tropas neste momento mas quando vier a chuva já sabe que vai ter que assumir a responsabilidade política pelos acontecimentos.
  • 16 out, 2017 17:38
    É simplesmente vergonhoso, a incapacidade deste governo e desta ministra, perante o terror destas familias. Não podem continuar a falar sobre este assunto desta maneira tão vil, e despretenciosa, são portugueses silenciosos perante este HORROR. Adoro a minha Nação orgulho Lusitano, mas neste momento a minha indignação é imensa, uma tristeza que não tem limite, por ver tanta mediocridade, e uma inutil ministra, que ainda tem a ousadia de dizer ao seu povo que sofre de pobreza profunda, portugueses que ficaram sem nada e sem ninguém, uma vida completamente desvastada, e esta ministra que não merece sequer ser do meu País, que ainda nâo foi de férias!!!!!!!! Minha senhora voçê é um animal com duas patas, ESTOU HORRORIZADA. BOMBEIROS DE PORTUGAL - HEROIS DA NAÇÃO MIFMPINTO
  • António Valente
    16 out, 2017 Sintra 17:28
    Ó ministra vai-te embora !!!!! Até já metes nojo